Tag Archives: são paulo

Porque queremos secretamente que os cães fiquem filhotes pra sempre.

As pessoas costumam dizer “ah, pena que essa fase filhote passa tão rápido!”. Bom, vamos então analisar porque as pessoas querem que os cães permaneçam filhotes para sempre.

Particularmente, achamos os filhotes fofos, mas a fase adulta é muito melhor. O cachorro está educado, o cachorro sabe o certo e o errado e tem uma ligação muito mais forte com o dono. Quem tem cachorro já adulto sabe: é possível ver se eles estão com fome, com sede, com vontade de fazer xixi, só de olhar pra eles. É uma conexão sem explicação.

Portanto, mesmo que você ame os filhotes, não fique triste, a fase adulta também é MARAVILHOSA!

Foto Jmarcoz

Foto Jmarcoz

Vamos às razões que levam as pessoas a quererem que os cães fiquem filhotes pra sempre:

1. O fator fofura
2. As orelhas e as patas são enormes
3. E elas são tão peludinhas!
4. Estão sempre animados e felizes
5. E são muito curiosos
6. Essa viradinha de cabeça é demais pros nossos corações
7. Eles não tem vergonha de lutar pelo que é deles e eles fazem isso da forma mais fofa
8. Podemos carregá-los pra qualquer lugar
9. É fofo como eles cabem nos lugares mais inesperados
10. Mas a coisa mais incrível é que os filhotes olham pra você e já te amam muito
11. E como eles são fieis e leais desde o início
12. Os filhotes tem uma felicidade nata que é contagiante

Fonte – http://tudosobrecachorros.com.br/
Foto – Jmarcoz

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

Esfregar o bumbum no chão – Glândulas anais

Alguns cachorros, em alguma fase da vida, começam a arrastar o bumbum no chão, como se estivesse coçando. Muitas vezes pode ser verme, que provoca coceira na região do ânus. Outro motivo muito comum é que ele pode estar precisando que suas glândulas anais sejam espremidas/esvaziadas. Seu cachorro ainda pode estar com alguma coisa presa no bumbum, algum pedaço de grama, carrapato, fezes ou cabelo. Antes de mais nada, verifique se tem algo que esteja incomodando seu cão.
Esvaziar as glândulas anais é um procedimento simples que você pode fazer em casa. Se seu cão for bravo, recomendamos que coloque uma focinheira nele antes do procedimento.

Atenção:

– Se tiver alguma dúvida ou preocupação em relação a esse procedimento, consulte o veterinário antes de tentar.
– Pegue toalhas de papel suficientes pra poder repetir o processo várias vezes até terminar.
– Os cães em geral ficarão mais elétricos depois que o procedimento for finalizado.
– e o líquido for pastoso ou com sangue, você deve consultar o veterinário pra ver se não há infecção.
– Cachorros menores terão que passar por esse procedimento com mais frequência que cães maiores.
– Aumentar a ingestão de fibras pode ajudar o cão a expelir o conteúdo de suas glândulas anais normalmente, reduzindo a necessidade de passar por esse procedimento.

Cachorros esfregando o bumbum no chão:

Como esvaziar as glândulas anais em casa

1. Pegue 3 ou 4 folhas de papel toalha úmidas
esvaziar_glandula_anal_2

2. Coloque luvas de borracha
esvaziar_glandula_anal_3

3. Aponte a traseira do cachorro para longe de você
esvaziar_glandula_anal_4

4. Levante o rabo do cão para deixar o ânus à mostra
esvaziar_glandula_anal_5

5. Localize as glândulas anais de acordo com a imagem (geralmente numa angulação como se fosse 4 e 8 horas num relógio). Se as glândulas estiverem cheias você deve sentir um pequeno calo ao pressioná-las.
esvaziar_glandula_anal_6

6. Aperte gentilmente enquanto segura uma toalha de papel para absorver o líquido que sairá.
esvaziar_glandula_anal_7

7. Repita o processo até que as glândulas estejam vazias.
esvaziar_glandula_anal_8

8. Quando terminar, lave o traseiro do cachorro para reduzir o odor.
esvaziar_glandula_anal_9

9. Se possível, é aconselhável fazer isso durante o banho dele.
esvaziar_glandula_anal_10

Lembre-se: se você não sentir segurança ou não tiver certeza de que as glândulas anais precisem ser esvaziadas, leve seu cão ao veterinário.

Fonte: Tudo sobre Cachorro

Spike e seu calendário

Gente olhem só que legal, o Spike que foi selecionado para o calendário já recebeu o seu e posou para esta linda foto <3

Para adquirir mande um email para contatobulldogclub@gmail.com ou pelo whatsapp 11 9 6494-5397.

R$25,00 + frete.

WhatsApp Image 2017-02-23 at 10.23.37

Ou compre pelo Mercado livre no link http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-843738079-calendario-de-mesa-bulldog-_JM

Novidades do mundo pet.

O Brasil é o quarto país em população total de animais de estimação e o segundo em cães e gatos. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) estimam que o país tenha mais de 37,1 milhões de cachorros e 21,3 milhões de gatinhos. Quando peixes e aves entram na conta, o cálculo chega a 106,2 milhões de mascotes.

A associação estima que o faturamento do mercado pet em 2014 chegue a R$ 16,63 bilhões, sendo 70% do segmento de alimentação. Em seguida, os serviços devem contribuir com 17% da receita. Atentos a esse potencial, empreendedores criativos lançam novos produtos e serviços e apostam na paixão que brasileiro tem pelos seus bichinhos. Veja algumas facilidades no mercado em Curitiba e região.

Foto: Eduarda Volpatto

Foto: Eduarda Volpatto

Sorria, bicho!

Joana Ferreira Alves e Calliandra Anderle são parceiras na Click Pets, empresa especializada em fotografia de animais. O negócio começou há dois anos, para registrar as peripécias dos próprios bichinhos. Hoje, elas atentem a particulares e empresas, para peças publicitárias de pets shops, fábricas de acessórios e alimentação.

A sessão dura pelo menos uma hora, mas a dupla fica o dia todo em contato com o bicho para estabelecer confiança e deixar o animal à vontade. São pelo menos três categorias de trabalho para particulares: o mini ensaio, com 10 fotos, por R$ 348; o ensaio pet, com 30 fotos , por R$ 750 e o ensaio da melhor idade, para bichos idosos, com 15 fotos e quadro de 20×40, por R$ 450. Mais informações no site www.fotografiadeanimais.com.br ou pelos fones (41) 9684 7388 e (41) 9986 6754.

Passeio de carro e a pé

Há um ano, Katiane Gil da Silva abriu o serviço de táxi para cachorro. O Táxi Dog é acionado mediante agendamento para transporte de cães e gatos para o veterinário, banho e tosa, exposições e viagens. Os bichinhos são levados em caixas apropriadas para o transporte. Em média, o preço da corrida custa R$ 2,50 por km rodado e é possível pagar no cartão. O marido de Katiane, Leandro, também é adestrador e presta serviço de dog walker. Por R$ 30 a diária, ele busca o bicho na casa do proprietário, ou na hospedagem, em caso de viagem do dono, para um passeio mínimo de meia hora. Informações pelos fones (41) 9673-6103 e 8827-0861.

Outras duas empresas prestam serviço semelhante na capital. A Taxi Dog Curitiba cobra R$ 3,20 por km rodado, e também realiza transporte do bichinho para outra cidades, em caso de mudança, por exemplo. Funciona 24 horas e fica na Rua Desembargador Clotário Portugal, 155. Informações pelo fone (41) 3599-8333.

O Petti Táxi trabalha com preços fechados, de acordo com o deslocamento. Entre o Água Verde e o Centro, por exemplo, o serviço de leva e trás para acompanhamento em consulta veterinária fica em R$ 80. A empresa fica na Rua Anne Frank, 4.441, no Hauer. Informações pelo fone (41) 3286-7406.

Blog-Sobre-Caes-e-Gatos-Tigrinho

Babá de cachorro

Ana Mari Coelho sempre gostou de cachorro e sentia necessidade de um serviço de companhia para a sua Cherry. Há dois anos, quando veio de Balneário Cambouriu para morar em Curitiba, decidiu apostar no cuidado com os cães como negócio. Ela presta serviços de pet sitter. Em média, cuida de dez animais por semana, entre gatos e cachorros. Os valores são negociados conforme a distância e quantidade de animais que ela vai cuidar. A partir de R$ 30, ela visita o bichinho na casa do proprietário por uma hora, onde providencia água, alimentação, ministra remédios e a limpeza do local e faz companhia. Informações pela fanpage www.facebook.com/AnaPetSitter ou pelo telefone (41) 9645-4442.

Até depois do fimO crematório Pet Céu está em atividade há quatro anos. Oferece dois tipos de cremação. Na individual, a empresa cumpre rituais semelhantes ao da cremação de humanos, com urna funerária, documentação do procedimento, sala de despedida e depositório de cinzas no local, como um cemitério vertical. Na modalidade coletiva, os animais são armazenados em câmara fria sob congelamento e a cinza é descartada, conforme legislação ambiental. Os contratos também podem ser feitos em planos preventivos, em que o cliente paga antecipadamente os pacotes, em até 10 vezes sem juros. A empresa assume a remoção do bichinho e trabalha em esquema de plantão. Os valores variam de R$ 450 a R$ 660, na modalidade individual e de R$ 175 a R$ 320, na coletiva, conforme o peso do animal. O Pet Céu fica na Rua Helena, 51, em Pinhais. Informações pelo fone 3668-5858 ou no plantão 9806-9494.

Quintal pra brincar

No início, a proposta da Acãodemia era para reabilitação de animais domésticos em tratamento veterinário. Hoje em dia, a empresa presta serviços de creche para animais, em que os bichinhos ficam em atividade ao ar livre, permanentemente, em uma área de 200 m². O foco agora são cães de pequeno porte, que vivem em apartamento. São mais de 40 bichos atendidos por dia. A diária custa R$ 25, mas há descontos progressivos, conforme a frequência e os serviços utilizados no local. A Acãodemia fica na Brasílio Itiberê, 4.057 e funciona de segunda a sexta, das 9 às 19 horas e aos sábados, das 9 às 17 horas. Informações pelo fone 3018-1841.

Cachorro no divã

Com especialização em comportamento de cães e gatos, a futura veterinária Daniele Graziani trabalha como terapeuta de cães. Desde criança ela estuda sobre comportamento e adestramento e hoje ajuda proprietários a mudar atitudes indesejadas, como agressividade ou medo excessivo. A terapia exige de quatro a oito sessões, de uma hora por semana. O dono recebe orientações que precisa aplicar na rotina com o bicho. O atendimento é feito em consultório, mas pode ser em domicílio. Uma sessão individual custa R$ 100, mais R$ 20 de taxa de deslocamento, se for necessário. O pacote com quatro sessões custa R$ 380. O consultório fica na Rua Vicente Machado, 2.805. Informações pelos fones 3014-9014 e 8872-0996 ou no site www.terapeutacanina.com.br

Caminha especial

A Metal Pet é especializada em materiais veterinários e criou cinco modelos de camas tubulares para bichinhos de estimação. As estruturas também são produzidas em cinco tamanhos diferentes, a partir de 50x50cm, até 1x1m. Como ficam suspensas do chão, ajudam a evitar a umidade em contato com o corpo do bicho. É feita em aço, com kit de estofamento, e custa entre R$ 200 e R$ 550 para o consumidor final. A empresa fornece para pet shops e não aceita encomendas de modelos fora de catalogo. A Metal Pet fica na Rua Lamenha Lins, 1350. Informações pelo fone (41) 3016-2576 ou no site www.metalpet.com.br

Tudo limpo e cheiroso

A Lav Zoo é especializada na higienização do enxoval dos pets. Caminhas, cobertores, bichos de pelúcia e toalhas, que também são locadas para os pet shops que fazem banho e tosa. A limpeza das caminhas custa a partir de R$ 25. Cobertores, a partir de R$ 12, pelúcias a partir de R$ 15. As toalhas custam R$ 2. É possível levar os produtos até a lavanderia ou entregar nos pets conveniados, que utilizam os serviços da Lav Zoo. A empresa fica na Rua Lindolfo Pessoa, 476, no Seminário. Funciona das 8h30 às 18h30 e aos sábados, das 8h30 às 13 horas. Informações pelo fone 3078-4688.

“Fica mais comigo….”

“Me chamo Gisele Clara e tenho um Bulldogs, ele se chama Caleb”

Responda com base em suas experiencias com seu Bulldog Ingles.

01-Quando você se apaixonou pelo Bulldog Ingles?

Após ver as fotos nas redes sociais, eu seguia o face de vocês e sempre via as fotos e ficava apaixonada…. no ano de 2014.

qq
02-Quando decidiu que queria ter um, quais foram os métodos de pesquisa sobre a raça e criadores, internet, amigos, etc.

Criadores, intenet e veterinários.

03-Sem citar nomes, qual foi o método de escolha na hora de adquirir um filhote, atendimento do criador, padrao da raça, preço, indicaçoes de onde comprar, etc.

Na verdade escolhi o mais próximo da minha cidade, e que tinha responsabilidade e pedigre.

04-Com o filhote já em casa, quais foram suas maiores dificuldades quanto a raça e cuidados, mesmo que tenha adquirido o Bulldog já adulto.

Clima quente, ele não fazia as necessidades no lugar certo, e  no inicio sempre ia ao veterinário com diarreias.

05-Voce teria vontade de ter outro Bulldog? E voltaria a comprar de onde adquiriu seu primeiro? Adotaria um Bulldog já adulto, castrado e com idade avançada?

Com certeza! Para todas as perguntas.

06-Quanto ao atendimento veterinário para o seu Bulldog, teve alguma dificuldade em encontrar um especialista na raça ou teve que ir em vários?

Sim muito, aqui na minha cidade é o único bulldog que existe rsrsrs (Jales Interior do estado de S.P.) e até hoje tenho pouco de receio de acontecer algo sério com ele e ninguém saber resolver.

07-Seu Bulldog já teve algum problema sério de saúde? Passou por algum procedimento cirurgico e/ou esta em algum tratamento diario, como, otite, assaduras, dermatite.

Não, nenhum.

08-Cite 5 qualidas e 5 defeitos, quando eu digo defeito me refiro as manias, teimosias, e coisas que vocë não gosta na raça.

Qualidades: Carinhoso, companheiro, inteligente, dócil e bonito rsrsrs Coisas que não gosto: teimosia, a euforia, roer as coisas em casa, guloso e arteiro rsrsrs.

09-Se seu Bulldog pudesse dizer uma única frase, qual seria ela?

Fica mais comigo….

10-Oque um Bulldog precisa para ser feliz?

Companheirismo, atenção, levar pra passear.

DISPLASIA COXOFEMURAL

540863_446794055390642_1425311529_n (1)

A displasia coxo-femoral (ou “displasia da anca”)
Por SeaLords
Publicado: 06-09-07

O que é a displasia?
A displasia da anca é uma anomalia do desenvolvimento da articulação coxo-femoral (anca).

O que é a displasia?

A displasia da anca é uma anomalia do desenvolvimento da articulação coxo-femoral (anca). Está descrita em várias espécies, incluindo o gato e o Homem. Contrariamente ao que acontece neste último, nos cães a displasia não está presente ao nascimento, não sendo, pois, uma doença congénita. Todos os cães nascem com ancas normais, e as alterações surgem apenas no decurso do desenvolvimento do cachorro.

As anomalias no desenvolvimento da articulação conduzem ao desenvolvimento de artrite e, consequentemente, dor e, nos casos graves, total incapacidade.

Que raças são afectadas?

Todos os cães, independentemente da raça, podem ser afectados pela displasia da anca. No entanto, é muito mais frequente nos cães de raças médias a gigantes, com os seguintes traços morfológicos:

– conformação pesada, arredondada e compacta
– gordura sub-cutânea abundante
– músculos pouco proeminentes e pouco desenvolvidos (tendo como ponto de comparação o Greyhound, raça isenta de displasia)
– crescimento e maturação rápidos

Ocorre de igual modo nos dois sexos, embora os machos, por serem maiores e mais pesados, possam ser marginalmente mais afectados comparativamente às fêmeas.

displasia-coxofemural-2

Anatomia da articulação