Tag Archives: dicas

Reprisando: Bulldog no Verão…muita atenção!

Boa Querência Becky - proprietários Diene e Leonardo

Com a chegada do verão e o planeta cada vez mais aquecido, os cuidados com o Bulldog devem ser ainda maiores nessa época do ano.

Antes de mais nada é importante que se trabalhe com a idéia de prevenção, pois no verão qualquer situação de hipertermia pode acabar representando um caminho sem volta para o Bulldog.

Muitas são as causas que facilmente podem levar à morte.

Por isso nunca é demais ter sempre em mente os seguintes cuidados e precauções:

- Viagem/passeio de carro somente com ar condicionado;

- Horários do dia de maior calor, atividade física zero;

- Colocar o Bulldog em uma caixa de transporte e ligar o ventilador na frente é sempre uma excelente alternativa, pois manterá o cão tranquilo e refrigerado;

- Transferir o Bulldog para uma peça da casa que possua ar condicionado;

- Dispor de um piso frio é sempre bem-vindo, pois o Bulldog irá procurar deitar-se nesse local toda vez que sentir necessidade de refrescar-se;

- Faça uma “dieta” de verão, diminuindo a quantidade de ração normalmente administrada. Bulldogs com sobrepeso sofrem mais no calor;

- Troque os horários de ração, antecipando pela parte da manhã ou retardando pela tarde. Deste modo o Bulldog irá aproveitar melhor a ração e terá uma melhor digestão;

- Não pense duas vezes em molhar o Bulldog e deixá-lo molhado. Isso pode ser uma alternativa não muito indicada em relação à saúde da pele, mas entre perder o cão e tratar alguma dermatite…

Em situações extremas em que o estado de hipertermia já se desencadeou (língua roxa, ronco excessivo ao respirar, corpo mole e dificuldade de ficar em pé) procure manter a calma, deite o Bulldog com a barriga num piso frio e as patas traseiras esticadas para trás, com água corrente sobre ele, mantendo-o sempre molhado. Coloque o ventilador em sua direção. Pedras de gelo colocadas sobre a língua também ajudarão. Não havendo possibilidade de deixá-lo sob água corrente, poderá ser usado álcool de cozinha sobre o cão, já que a sua rápida evaporação irá resfriar a pele. Alguns minutos serão necessários até que o Bulldog possa se refrescar e readquirir a respiração normal.

O maior cuidado que se deve ter nestes casos é evitar que a passagem de ar pela boca se feche em razão da hipertermia. Isso é comum em se tratando de um cão braquicefálico e com palato mole alongado. Uma vez verificada tal obstrução, deve-se pressionar a base da língua para que o fluxo de ar seja restabelecido.

Por fim, vale relembrar: é muito mais fácil um trabalho preventivo, evitando estágios de hipertemia, do que tentar normalizar a temperatura corporal depois de um super aquecimento.


giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

Com a palavra, o Criador Renato Bellani (Maiorca)

1. PORQUE O BULLDOG E COMO TUDO COMEÇOU?

Começou há cerca de 10 anos quando tive meus primeiros bulldogs pets porque achava um cão exótico, meus pais criavam cães desde 1971 então em 2005 começamos para valer na raça a qual somos apaixonados e eu Renato Bellani, minha esposa Luana Bellani e minha mãe Ana Bellani sempre procuramos produzir o melhor para atender a nossos expectativas e a de nossos clientes.

2. QUAL A ROTINA DO CANIL?

Nosso canil segue uma rotina diária que inicia às 7:45 quando nosso funcionário chega e limpa os canis e logo em seguida alimenta os nossos cães, eles são frequentemente escovados e colocados nos picadeiros onde podem se exercitar. Ao meio dia recolhemos todos aos canis. Alguns filhotes e os cães de pista são manejados em dias alternados respeitando sempre aos dias com temperatura mais agradável para não desgastar muito os cães. Às 17:30 os cães são novamente alimentados e após limpar todos os canis é encerrado o dia. Fora esta rotina temos também as rotinas com nossas ninhadas que são criadas dentro de nossa casa em ambiente climatizado . Os filhotes ficam em berços com lençois térmicos separados das mães e de 3 em 3 horas juntamos eles às mães para que se alimentem , após saciar sua fome os bebês são limpos e colocados novamente em seus berços. Aos 20 dias eles começam a comer papinha para começar o processo de desmame a fim também de preservar a matriz.

3. QUAIS AS RECOMENDAÇÕES PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM ADQUIRIR UM BULLDOG?

Procure seu cão em canis com um bom plantel, procure saber como são os cães produzidos por este criador, lembre-se sempre que o bulldog é um cão para companhia e não para esportes ele se adapta bem a vários ambientes porém não tolera bem o calor em excesso e sempre é bom lembrar que o barato sai caro.

4. QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DICAS PARA AQUELES QUE JÁ SÃO PROPRIETÁRIOS?

Respeite os limites de seus cães, ame-os independente de tudo, mantenha com vacinas e vermífugos em dia, limpe sempre suas dobras prefira alimentação super premium para seu cão, cuidado com a obesidade, seguindo esses conselhos se você optou por um cão de boa procedência seguramente não terá problemas.

5. E PARA AQUELES QUE PENSAM EM COMEÇAR A CRIAR?

Conheça bem a raça, acompanhe um pouco a rotina de um canil, veja se você terá condições de atender às necessidades que eles têm na reprodução e também no acompanhamento dos filhotes com a mãe, etc. Criar Bulldog parece fácil mas não é.

6. QUAL O PERFIL DO PROPRIETÁRIO IDEAL?

Não existe um perfil específico , o proprietário somente tem que amar e respeitar seu cão ele não exige muito mais que isso e uma boa alimentação.

7. QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O PLANTEL NACIONAL?

Nosso plantel está melhorando muito nos últimos anos, vários canis importaram cães de ótima qualidade, investiram pesado em linhas de sangue que certamente vão contribuir muito em nosso plantel. Hoje os Bulldogs do Brasil já são mais respeitados lá fora tivemos vitórias significativas na Europa e America.

8. AINDA SOMOS UM PAÍS IMPORTADOR DE BULLDOGS? SIM / NÃO E PORQUÊ?

Sim ainda somos um país importador embora já exportemos muito também então na verdade hoje o meio cinófilo está mais globalizado e as linhas de sangue que antes eram restritas em algumas partes do mundo, agora já existem em muitos países isso é bom pois fortalece a raça. Mas é evidente que somos muito mais importadores que exportadores pois a raça esta tendo um forte amadurecimento nestes últimos 10 anos graças às importações que vieram a somar muito. Nós mesmo importamos desde 2006 mais de 15 cães da Europa para montarmos nossa base de criação.

9. QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS EXPOSIÇÕES NO BRASIL E A QUALIDADE DE NOSSOS ÁRBITROS?

Exposição no Brasil é algo que nunca agrada a todos, nem sempre o melhor ganha, pois existem árbitros que têm um profundo conhecimento na raça assim como existem alguns muito fracos que julgam uma outra raça que não é o Bulldog Inglês e acabam as vezes engrandecendo cães que por muitos criadores não tinham condições de chegar tão longe. Eu particularmente coloco meus cães para fechar os títulos apenas e os retiro de pista.

10. QUAL A SUA MAIOR FELIDICADE COMO CRIADOR?

Produzimos a primeira bulldog nascida no Brasil a ganhar melhor da raça na Espanha “MAIORCA BULLS NAJA”, esta mesma fêmea também foi RBIS em Portugal, ganhou classe intermedia numa monográfica nacional na Espanha, 3º Classe intermedia no World Bulldog Federation com mesma pontuação da segunda colocada (classe da fêmea que foi BIS). Desta mesma Ninhada saiu CH MAIORCA BULLS NANCY fêmea que venceu já no Brasil e Uruguai. Em uma ninhada deixar o rastro de vitória por 5 paises é algo que para nós é motivo de muito orgulho ainda mais 3 destes países sendo países pertencentes a EUROPA, onde se encontra a nata da raça.

11. QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS ALTERAÇÕES NO PADRÃO DA RAÇA?

Sou a favor do novo padrão embora muitas vezes acredito que ele não seja respeitado.

12. O QUE NÃO PODE FALTAR NUM BULLDOG?

Expressão, uma cabeça limpa que seja marcante que quando a veja seja identificado um Bulldog, uma boa respiração, boa cauda , ossos pesados .

 http://www.canilmaiorca.com/

Com a palavra, a Criadora Olga Melillo (Simple The Best)

1 – PORQUE O BULLDOG E COMO TUDO COMEÇOU?

Acho que a princípio por ter aquela cara marrenta e ao mesmo tempo ser muito amoroso e engraçado. Meu primeiro contato foi em campeonato de hipismo, onde um veterinário andava com um para cima e para baixo com uma bandana vermelha no pescoço. Achei o máximo aquilo !!!!! Alguns meses depois em um outro campeonato, em ribeirão preto, teve uma feira de filhotes e tinha um bulldog de quase 9 meses a venda, e como uma boa amante de cães que sempre fui eu estava lá vendo os bebês e todos queriam atenção e quando fui brincar com o bulldog o cara me mediu de cima embaixo e virou a cara para mim… rsrsrs . Aquilo me deixou inconformada… Kkkkk como assim ???? Aí fiquei doida nele !!! Minha mãe de cara já dizia que não era para eu comprar pq já tínhamos muitos cães em casa e que se eu chegasse com o cão eu estaria na rua, afinal o bichinho não tinha culpa… No último dia do campeonato, quando acabou tudo o rapaz da loja foi lá e soltou o bulldog num gramado enorme que tem lá na hípica, ele correu, correu, no meio de todo mundo e lá de longe veio em minha direção, se jogou de lado e veio escorregando no meio das minhas pernas…. Acho que não precisava falar mais nada né ? Mas voltei sem o cão…. Durante a semana foi uma luta descobrir o nome da loja e finalmente negociar o preço e ao mesmo tempo negociar com minha mãe. Na quinta – feira, quando ela liberou, minutos depois o meu telefone tocou e era da loja fechando negócio !!! kkkk Lá vamos nós de volta a ribeirão preto buscar o apaixonante gordo !!! Alguns meses depois descobri o criador e ele me disse que tinha nascido uma ninhada e que tinha uma fêmea e daí decidi comprá-la, e foi onde tudo começou mesmo.

2 – QUAL A ROTINA DO CANIL?

Acho que não deve mudar muito da rotina de todos, só tem a diferença é que sou sozinha para cuidar de todos, então tenho que me dividir um pouquinho para cada um e encaixar os compromissos nesse meio tempo.

3 – QUAIS AS RECOMENDAÇÕES PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM ADQUIRIR UM BULLDOG?

Acho que a primeira recomendação é que a pessoa tem que estar muito certa do que está fazendo, que está disposta a tudo por esse cão. Que ela terá gastos com o cão pois será como um filho mesmo. E acho que isso serve para qualquer raça, cachorro custa, cachorro vai ao veterinário, cachorro faz xixi e cocô … Em segundo se informar se essa raça é compatível com seu estilo de vida. Sempre perguntar bastante ao criador como lidar com eles. Quanto mais perguntas melhor, o criador não vai achar que você está sendo chato !!!

4 – QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DICAS PARA AQUELES QUE JÁ SÃO PROPRIETÁRIOS?

A principal dica cuidado com o calor !!!! As pessoas as vezes não acreditam que o bulldog morre de calor e deixam o cão chegar a um estado que não tem mais volta, daí a culpa é de todos, menos dele que não soube reconhecer que o cão estava ficando de língua roxa. Bulldog não vai ao veterinário a 1 hora da tarde !!!! Bulldog vai ao veterinário às 8 horas da manhã ou no final da tarde. Bulldog não vai fazer caminhadas às 3 horas da tarde. Eu sou da opnião que não temos que ter frescuras em excesso com eles, mas temos que ter cuidados !!! Sim, é um cão, não um bibelô, mas ele exige atenção. Já conversei com pessoas que pareciam que queriam pôr seu bulldog em uma redoma de vidro… Também não é assim.

5 – E PARA AQUELES QUE PENSAM EM COMEÇAR A CRIAR?

Não pense que você achou a mina de ouro, pq você não achou !!!! Criar bulldog é uma paixão e não um meio de ganhar dinheiro. Tenha em mente o objetivo de tirar o bulldog perfeito. Busque uma linha de sangue que te agrade. Estude muuuuuuuito !!!! Faça com muito amor. Só assim você atinge o sucesso.

6 – QUAL O PERFIL DO PROPRIETÁRIO IDEAL?

O perfil do proprietário ideal é aquele que está disposto a aprender sobre a raça, a seguir as recomendações do criador. E que tenha muito amor pelo bebê que está adquirindo. Que tenha consciência que é para a vida toda.

7 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O PLANTEL NACIONAL?

Eu acho que a cada dia que passa a raça está ganhando mais força e os criadores mais dedicados. Mas ainda acontece muito dos criadores não investirem num cão de sua criação. Ainda estão muito preocupados em importar cães pensando em ganhar exposições e não em complementar seu plantel. Temos que apostar no nosso taco e não achar que o de fora que é melhor. Não é não !!! Hoje temos cães de muita qualidade nascidos aqui e podemos fazer tão bonito quanto os lá de fora.

8 – AINDA SOMOS UM PAÍS IMPORTADOR DE BULLDOGS? SIM / NÃO E PORQUÊ?

Acho a importação importante sim, mas com a mentalidade de complementar o plantel. Para trazer um cão de fora você tem que analisar o pedigree dele, a linha de sangue, ver se combina com o sangue que você tem e se têm as características que você pretende complementar.

9 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS EXPOSIÇÕES NO BRASIL E A QUALIDADE DE NOSSOS ÁRBITROS?

Olha, acho complicado julgar a qualidade dos árbitros porque afinal o julgamento é subjetivo e cada um tem um gosto. Então não dá para dizer que o fulano fez certo ou fez errado. Acho que a raça cresceu tanto que naturalmente obriga aos juízes estudarem muito bem o padrão para não dar uma gafe.

 

10 – QUAL A SUA MAIOR FELIDICADE COMO CRIADOR?

Já tive muitas, cada filhote que nasce é sempre uma felicidade. Mas acho que as 3 maiores foram na mundial da Argentina quando ganhei o “Melhor Jovem” com o “Boris” no primeiro dia e eu que estava apresentando, a segunda quando ele ganhou o melhor cão de criação nacional em 2007 e a terceira agora em abril ganhar novamente o melhor cão de criação nacional com o “Cartier”.

11 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS ALTERAÇÕES NO PADRÃO DA RAÇA?

Num geral, em relação a mudar o padrão, eu acho que isso não vai acontecer não. Eu acho muito válido em relação aos criadores se preocuparem mais em relação a respiração e não reproduzir cães com dificuldade respiratória. Cães agressivos também não podem reproduzir. E acho que os criadores precisam ter consciência em relação a consangüinidade, pois em excesso trará cães com problemas de saúde.

12 – O QUE NÃO PODE FALTAR NUM BULLDOG?

O bulldog tem que ser harmonioso, ter uma boa respiração e uma boa índole.

Agradeço a possibilidade de poder compartilhar um pouquinho do meu conhecimento com vocês e acho que os criadores sérios têm a mesma opinião na maioria dos assuntos. Um grande abraço a todos !!!

http://www.simplethebestbulldogs.com.br

Com a palavra, o Criador Kleber Felizola (Du Pierrot)

1 – PORQUE O BULLDOG E COMO TUDO COMEÇOU?

Crio cães há 21 anos e estou na raça há 6. Minha esposa sempre falava que gostaria de ter um bulldog e eu mudava de assunto pois, criava rottweiler e beagle. Um dia, na clínica, recebi um filhote com 2 dias de nascido para eutanásia. Esse filhote vinha de um canil renomado mas, apresentava um desvio lateral nas patinhas trazeiras. O recado do criador era para dar sumiço no filhote. Foi aí que pedi ao funcionário para ficar com ele e assim aconteceu. Criei a bebezinha na mamadeira e ela se tornou minha companheira. Passados alguns anos, recebi uma proposta para junto com 2 amigos comprar o canil Dalid`s, do Dr Ivan Correa, na época com 18 animais de linhagem MACM. A paixão pela raça a essa altura já estava enraizada nos nossos corações.
 

2 – QUAL A ROTINA DO CANIL?

Hoje, o canil possui 18 matrizes e 3 padreadores importados. Nosso objetivo é desenvolver uma linhagem Du Pierrot. Para tanto, estudamos nossos cruzamentos com critério, sempre baseado na linha de sangue que buscamos, temos uma rotina diária com manejo bastante rigoroso na higiene, alimentação super premium, vacinas e vermifugos. O trabalho físico de condicionamento é constante e, por segurança, procuramos manter nossos cães com um peso ideal para que não corram riscos com golpe de calor. Contudo, o que talvez seja mais interessante é o fato de que nossas matrizes criam seus filhotes que, a partir do 3o dia, ficam direto com as mães.
 

3 – QUAIS AS RECOMENDAÇÕES PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM ADQUIRIR UM BULLDOG?

 A 1ª pergunta que faço é se toda a família está disposta a ter um cão em casa. Principalmente a mulher, qdo recebo um casal, pois é ela que na maioria das vezes que dá a última palavra. Daí prá fente, recomendo que procurem sempre um canil registrado no Kennel de sua cidade, pegue informações com criadores mais experientes e que o preço do filhote nunca deve ser o fator de decisão na hora da compra. O barato pode acabar saindo mais caro.

 4 – QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DICAS PARA AQUELES QUE JÁ SÃO PROPRIETÁRIOS?

Que procurem manter o peso de seu bull numa condição que não venha a prejudicar sua saúde Cuidado com o calor e com piscinas. Procure exercitar seu cão de forma moderada, sempre respeitando os limites dele. Proucure socializar e educar seu bull para que ele possa se relacionar bem com todas as pessoas e tb com outros cães. Leve-o regularmente ao veterinário, mantendo vacinação e vermifugações em dia.

5 – E PARA AQUELES QUE PENSA EM COMEÇAR A CRIAR?

Para quem vai começar a CRIAR, além de todas a dicas básicas conhecidas, sugiro que antes, estude bem e defina a linha de sangue que vai buscar. Definido isso, siga nessa linha e evite a “salada mista” de pedigree`s. Esse, na minha opinião, é o maior erro de quem inicia uma criação.

6 – QUAL O PERFIL DO PROPRIETÁRIO IDEAL?

O proprietário ideal é aquele que ama seu cão, respeita seus limites e o cria como cachorro. A pior coisa que um proprietário pode fazer pelo seu cão, é criá-lo como se fosse gente.

7 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O PLANTEL NACIONAL?

Vejo a raça hoje no Brasil com um enorme potencial genético. Temos aqui diversas linhas de sangue consagradas, tanto americanas como európeias. Creio que ainda nos falta melhorar a qualidade de nossas matrizes e ainda, que os criadores procurem definir bem as linhas com as quais irão trabalhar. Vejo alguns cruzamentos sendo realizados sem um embazamento genético e apenas pelo fenótipo ou pelos títulos do padreador. Isso é na minha opinião, é um critério muito subjetivo e que faz com que tenhamos um caminho muito mais longo a percorrer.


8 – AINDA SOMOS UM PAÍS IMPORTADOR DE BULLDOGS? SIM / NÃO E PORQUÊ?

Com certeza ainda somos um país importador e creio que sempre o seremos. Na verdade não vejo  nisso um problema, desde que, a importação tenha como objetivo a criação. Porém, o que na maioria das vezes acontece, é a importação de cães com o intuito maior de se ganhar exposições e consequentemente, vender muitas coberturas para aqueles que buscam os campeões para padrearem suas femeas.

 9 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS EXPOSIÇÕES NO BRASIL E A QUALIDADE DE NOSSOS ÁRBITROS?

Eu sou a favor de exposição especializada, com juízes criadores da raça. As exposições gerais no Brasil, na maioria da vezes, deixam muito a desejar. Nossa raça não é fácil de se julgar. Temos vistos alguns julgamentos sem critério e que ao final, quando paramos para analisar os vencedores de cada classe, são cães de tipos completamente diferentes uns dos outros. Ai pergunto: qual o critério que o árbitro utilizou?  Todo ano, aguardo com ansiedade, a nossa Nacional pois, via de regra, temos julgamentos imparciais e de pessoas realmente entendidas. Parabenizo os organizadores das Nacionais que a cada ano aumenta a participação e a qualidade do evento.

10 – QUAL A SUA MAIOR FELIDICADE COMO CRIADOR?

 Tive grandes felicidades com minha criação. Uma dela quando a DU PIERROT BELISE se tornou o segundo bull de criação nacional a se tornar Jovem Vencedora Nacional. Depois, O DU PIERROT KIEV foi escolhido o Melhor Jovem da Nacional em 2008, batendo vários cães, inclusive importados. Por fim, na Nacional de 2009, a DU PIERROT QUIMMY WHYSE, foi a Melhor femea Jovem sendo a mais nova da classe na ocasião. Isso nos enche de alegria nos faz crer que estamos no caminho correto.

11 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS ALTERAÇÕES NO PADRÃO DA RAÇA?

Serei sempre a favor de tudo que ocorra se for para melhorar realmente a saúde dos cães.

12 – O QUE NÃO PODE FALTAR NUM BULLDOG?

Num bull não pode faltar em primeiro lugar uma saúde perfeita. Depois, expressão, robustez, energia e alegria. Não posso deixar de lembrar da cauda, que hoje é um sério problema na raça.

http://www.dupierrot.com.br/

 

Com a palavra, o Criador Paulo Tagliari (Stormbulls)

1 – PORQUE O BULLDOG E COMO TUDO COMEÇOU?

Começamos com Bulldog Americano quando lemos uma reportagem que eram cães extremamente difíceis de adestrar, como adoramos um desafio compramos nosso primeiro casal, Hunter que veio a ser o melhor BA do Brasil em 2004 falecido ano passado e a Sally, ainda conosco aqui no ES, adquirimos experiência na criação e em 2007 fomos convidados a mudar para o ES para uma sociedade na criação do Bulldog Inglês, Marcos nosso sócio sempre foi um amante de cães, criava a raça Sharpei e queria iniciar a criação de Bulldogs com qualidade, mas não tinha tempo para acompanhar o processo de forma integral, assim em março daquele ano mudávamos com nossos ABs para Jacaraípe na região metropolitana de Vitória – ES, iniciando assim nossos trabalhos com a raça, hoje somos cada vez mais apaixonados pela raça mantendo um plantel de 10 matrizes e 4 padreadores.

2 – QUAL A ROTINA DO CANIL?

Nossa rotina é de um canil de manejo intenso, pois trabalhamos com adestramento e alteração comportamental de cães e temos além dos cães de plantel, cerca de 15 cães em treinamento e mais alguns cães que usamos em Mondioring, um esporte originário da Europa. Toda manhã os Bulldogs são soltos todos juntos para recreação enquanto um funcionário faz a limpeza e desinfecção dos canis, na parte da tarde alguns dos cães do plantel saem para passeios, sempre respeitando horários e condicionamento físico de cada um, os cães ficam em baias em dupla ou trio, temos duplas inseparáveis, como Hummer e Josh (machos), Patola e Laredo (machos), Fama e Leona (fêmeas) vez por outra surge algum atrito mas ao simples comando de dentro de casa mesmo eles encerram a discussão, usamos frequentemente a matilha de Bulldogs para acertar um ou outro cão de cliente que tenha problema comportamental. Outro ponto que somos frequentemente questionados é sobre o calor, nossos cães vivem sem ar condicionado, sem ventilador e graças a Deus sem problema algum com o calor aqui do ES, apesar de o canil ser em um local bem ventilado é comum temperaturas que ultrapassem 35° e até mais de 40° no verão. Ia esquecendo, temos duas gatinhas que convivem com os Bulldogs sem problema algum comprovando a socialização de nossos cães.

3 – QUAIS AS RECOMENDAÇÕES PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM ADQUIRIR UM BULLDOG?

Estude, pesquise, pergunte, tire todas as dúvidas, se estiver longe peça pra ver o filhote pela Web Cam, todo mundo tem computador conectado ao MSN ou Skype ficando fácil pra ver o filhote ao vivo. Se não tiver experiência com educação e comunicação com cães contrate um adestrador capacitado para orientar nas fases de socialização e imprinting do filhote e principalmente cuidado com as promoções, sempre com um valor aquém do mercado vem um problema, ou vc acha que um Celular de R$ 50,00 tem a mesma qualidade que um de R$ 500,00?

4 – QUAIS SÃO AS PRINCIPAIS DICAS PARA AQUELES QUE JÁ SÃO PROPRIETÁRIOS?

Cachorro não foi feito para tomar banho, quem dirá semanalmente, Bulldog é um cão que deve ser banhado no máximo a cada 15 dias, se vc acha que seu cão exala odor forte, pense em gastar um pouco mais em uma ração de qualidade, procure receitas ou produtos para banho a seco, o odor vai diminuir muito. Cuidado com produtos de limpeza, eles podem ser a causa da maioria dos problemas de pele de seu Bulldog. Na questão comportamental falo com experiência de quem trabalha com comportamento a quase 10 anos e só no ultimo ano orientamos ou alteramos comportamento de mais de 15 Bulldogs, eles não são nenhum bicho de 7 cabeças na questão de comportamento, são teimosos, mas são facilmente subornáveis kkk então use de inteligência e você vai fazer o que quer de seu BI.

5: E PARA AQUELES QUE PENSAM EM COMEÇAR A CRIAR?

Estude, pesquise, visite canis, peça pra acompanhar uma ninhada se possível, mantenha contato com criadores idôneos que criam com qualidade, procure um veterinário que tenha experiência com a raça, vai ajudar muito na manutenção do plantel, inicie com 2 matrizes, machos não são necessários ao inicio de um plantel, é mais fácil buscar padreamentos externos que ficar preso a um só padreador. Outra dica super importante, se pensa em ganhar dinheiro com a criação de Bulldog, está começando de forma errada, se conseguir manter um canil de criação sem precisar injetar dinheiro de outra fonte de renda já está conseguindo um ótimo resultado.

6 – QUAL O PERFIL DO PROPRIETÁRIO IDEAL?

Pessoas com situação financeira e emocional bem definida, que entendam que estão adquirindo um cão e não um Bebê, que entendam que cães devem ser tratados como cães, com regras, disciplina, ótima alimentação e carinho na medida certa, exatamente nessa ordem.

7 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O PLANTEL NACIONAL?

A cada dia o plantel nacional melhora de qualidade, é só acompanhar os sites dos criadores de ponta, todos estão investindo em cães de linhas renomadas, e já começam a colher os frutos com cães exportados para Europa e conquistando títulos em vários países de renome na criação mundial. 

8 – AINDA SOMOS UM PAÍS IMPORTADOR DE BULLDOGS? SIM / NÃO E PORQUÊ?

R: SIM e NÃO, SIM porque ainda se necessitam de importações pois há linhas sólidas de excelente qualidade que devemos trazer para o Brasil e NÃO porque é fato que estamos nos tornando um pais exportador de material genético, ora se estamos exportando é porque estão notando a qualidade de nosso plantel.

9 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS EXPOSIÇÕES NO BRASIL E A QUALIDADE DE NOSSOS ÁRBITROS?

Tenho estado afastado das exposições, mas acredito que o modelo de exposições deveria ser revisto, com árbitros julgando em exposições especializadas, premiando cães e não apresentações.

10 – QUAL A SUA MAIOR FELIDICADE COMO CRIADOR?

Sentar no chão e ser escalado por 5 ou 6 filhotes com 50 dias, é impagável. 

11 – QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE AS ALTERAÇÕES NO PADRÃO DA RAÇA?

Toda alteração que venha a melhorar a qualidade de vida dos cães é bem vinda.

12 – O QUE NÃO PODE FALTAR NUM BULLDOG?

Um corpo poderoso, compacto, com cabeça proporcional, um peito com boa abertura e uma movimentação fluente e com desenvoltura. 

http://www.bulldogue.com.br

Com a palavara, o Criador!

O Bullblog inaugurará, em breve, uma sessão de entrevistas exclusivas com os melhores criadores da raça Bulldog no Brasil. O objetivo é aproximar e dividir o conhecimento dos criadores com os nossos internautas. Será uma série de 12 perguntas incluindo recomendações para quem pretende adquirir um Bulldog, dicas aos novos proprietários, rotina do canil, alterações no padrão da raça, entre outros assuntos de interesse. AGUARDEM!

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

Com que coleira?

Essa pergunta é repetida, toda vez que o tema é passear com o Bulldog.

Com medo da coleira tipo enforcador, muitos proprietários acabam optando pela utilização de uma peiteira o que eu não aconselho, principalmente em se tratando de um cão do porte e com a força do Bulldog, pois o uso da peiteira dará a ele toda a liberdade de movimento podendo, inclusive, “rebocar” o seu condutor.

Além disso, o Bulldog acabará empregando uma força desnecessária o que será prejudicial a sua respiração, inviabilizando os passeios.

Quando se fala em passeios e uso da coleira/guia, estamos também falando de educação canina com imposição de limites e comportamentos que entendemos desejáveis e seguros ao nosso cão.

Neste caso, o uso da peiteira não contribuirá para tal aprendizado, colocando o Bulldog e seu proprietário em constante perigo. É por isso que recomendo o uso de um enforcador macio, preferencialmente os feitos de tecido, como os utilizados em exposições de raça.

Porém, para que se possa passear com esse tipo de coleira, é necessário um trabalho prévio de aprendizagem.

O filhote, após completar 4 meses de idade, estará na idade ideal para iniciar esse aprendizado que irá consistir, primeiramente, na colocação de uma coleira leve e macia de fivela – quanto menos perceptível ao filhote melhor.

Apenas coloque a coleira no pescoço do filhote, aumentando os períodos de permanência com ela com o passar dos dias. Esse ritual servirá para que o filhote acostume-se e deixe de ver a coleira como um corpo estranho.

Já acostumado, prenda na coleira uma guia (opte também pela finas e longas). Trate tudo como uma brincadeira e nos primeiros dias deixe o filhote andar a vontade e, com o tempo, vá limitando os movimentos e tentando direcioná-lo a seguir seus passos.

Como qualquer outro tipo de aprendizado, é necessário paciência para que se possa estabelecer uma comunicação entre você e o cão até que ele compreenda qual a atitude esperada quando esta usando a coleira.

O gestual e a entonação de voz funcionam muito bem nestes casos, então não deixe de elogiar e festejar toda vez que o filhote atender ao comando da guia. Rapidamente ele irá associar e compreender o que você deseja dele.

Realize esses treinos em casa e somente saia à rua depois que o filhote já estiver respondendo aos limites e comandos básicos da guia (andar e parar).

Sair juntamente com um cão mais velho e que esteja acostumado aos passeios, é uma forma de facilitar o processo de aprendizado do filhote já que a tendência do filhote será seguir os passos do outro cão.

Depois que o filhote estiver totalmente adaptado aos passeios e à coleira de fivela, passe a utilizar o enforcador de pano compatível com as dimensões do pescoço do cão.

Essa transição da coleira de fivela para o enforcador é necessária para que o filhote não venha a machucar-se ou até mesmo estabelecer algum trauma relacionado aos passeios e à utilização da coleira.

O mesmo procedimento de transição pode ser efetuado com o cão adulto, porém quanto mais cedo começar o treino com a coleira mais fácil e rápido será o aprendizado.

Bom passeio!

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

A escolha certa do filhote (Parte 02 – Físico)…

Bullprime Just Me aos 100 dias de vida

Se você leu o artigo anterior e realmente ficou decidido a adquirir um filhote de bulldog, seguem novas dicas do criador Pedro Lóes (http://bullprime.com.br/blog/blog1.php – Canil Bullprime):

A melhor idade para se escolher um filhote de Bulldog é com uns 5 ou 6 meses de idade… onde os possíveis defeitos já serão aparente… mas como na cultura do Brasileiro… filhotes com essa idade são filhotes “empacados”… nós criadores somos obrigados a vendê-los ainda muito bebês… mas segue umas dicas para q a escolha seja a mais acertada… a idade ideal para se analisar um filhote de Bulldog é com aproximadamente 8 semanas de vida… onde já conseguimos ver as seguintes qualidades:

- Rabo;
– Olhos;
– Nariz;
– Layback;
– Orelhas;
– Ossatura;
– Angulação;
– Movimentação;
– Linha de dorso;
– Largura mandíbula;
– Formato das patas;
– Formato da cabeça;
– Profundidade de peito;
– Proporção(cabeça/corpo);

com está idade conseguimos ter uma boa noção de como ele será na fase adulta… dizem os mais vividos e experientes criadores da Europa… que o filhote qndo visto nessa idade… dificilmente será diferente na fase adulta… ou seja se um filhote apresenta algum defeito com 8 semanas… não se acredita q ele irá arrumar esse defeito na fase adulta… e qndo com 8 semanas ele apresenta uma qualidade muito notória… provavelmente na fase adulta será bem destacada…!!!

Pedro Lóes :D

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

A escolha certa do filhote (Parte 01 – Temperamento)…

Bullprime

Olá Pessoal!

No blog do amigo e criador Pedro Lóes (http://bullprime.com.br/blog/blog1.php – Canil Bullprime) encontrei e achei muito interessante o artigo que segue, o qual traz dicas muito interessantes àqueles que estão pensando em adquirir um filhote.  Vale a pena conferir!

Segue umas dicas para vc q pensa em ter um cachorro ou conhece alguém q está entrando ou pensa em entrar nesta aventura… as informações a seguir certamente serão de grande utilidade e farão toda a diferença entre o sucesso e o fracasso do novo membro da família… uma escolha correta da raça é sem dúvida muito importante… o 1º passo… qndo vc já decidiu a melhor raça (Bulldog)… é ler mais de uma vez o padrão racial ( http://www.cbkc.org/padroes/pdf/grupo2/bulldog.pdf ) e conhecer alguns canis… conversar com os donos e visitar as instalações para verificar as condições da criação… é também muito importante conhecer o pai e a mãe da ninhada… é interessante observar também o comportamento do criador: se ele fala q a raça é perfeita… q seus filhotes são muito inteligentes… não fazem bagunça… adoram crianças… aprendem a fazer xixi no lugar rapidinho e etc… desconfie! Um bom criador não tentará enganá-lo na hora de vender um filhote… inclusive… alguns vão até mesmo desencorajá-lo para se certificar q vc além de decidido… será um bom “pai” para os seus bebês… vc já escolheu a raça… o criador… agora vamos escolher seu novo gordinho… existem várias formas de analisar o comportamento de um filhote… a primeira delas é observar a diferença no comportamento entre os vários membros da ninhada… caso seja sua primeira vez e vc tenha alguma dificuldade… peça ajuda para o criador que certamente tem mais experiência no assunto… qndo observamos uma ninhada… o importante é tentar perceber o papel de cada um dos filhotes nesta “matilha” e com isso identificar algumas características importantes… qntas vezes a gente escuta: – Cheguei na casa do criador e nem tive q escolher um filhote… o “Bolinha” q me escolheu! Foi amor a 1ª vista! Ele me viu e veio correndo em minha direção todo se chacoalhando… Ou: – Fiquei com tanta peninha… era o menorzinho… ficava todo encolhidinho no canto… os outros filhotes nem deixavam ele comer… acabei ficando com ele… Ou ainda: – Ah, era o mais esperto da ninhada… andava na frente de todos… comia primeiro… não tinha medo… era o mais forte… é claro que me apaixonei! Pois é… todo mundo tem uma primeira impressão dos filhotinhos… mas a grande maioria não sabe o q esses sinais vão representar no futuro… o filhote q vem correndo em direção a qlquer pessoa q se aproxima… certamente vai ser um cachorrinho mais sociável… q gosta de gente… não muito medroso… aquele q fica no cantinho… deve ser o mais submisso da ninhada… ou muito tímido… um cachorro q pode ser excelente se for bem estimulado… mas pode se transformar em um cachorro agressivo por ser muito medroso… o último caso também é preocupante… um cachorrinho muito esperto… q certamente tem um grande espírito de liderança… pode se transformar numa encrenca se o dono não tiver pulso firme e muita vontade de trabalhar esse gorduxo… esses cachorrinhos costumam disputar liderança com o dono e com toda família as vezes por toda vida e podem ser especialmente complicados se na casa tiverem crianças… o ideal é ficar com algum dos cachorros intermediários… nem o mais submisso… nem o mais dominante… para ajudar a fazer a escolha certa… existem alguns testes de temperamento de filhotes… apesar de controversos (muita gente acha que não funcionam) podem ser excelentes aliados no momento de decisão… o teste de Volhard é o mais usado e foi desenvolvido para identificar cães com bom potencial de obediência… mas pode ser usado para avaliar o temperamento geral de um filhote… este teste não é muito simples e deve ser usado com cautela… muitos especialista não recomendam a sua execução por leigos… a interpretação pode ser toda distorcida se não for aplicado da forma correta… vou apenas explicar alguns exercícios e o q eles significam… o ideal é q os testes sejam aplicados qndo o filhotinho tem entre 7 e 8 semanas de vida… q coincide com a época q vc deve trazê-lo para sua casa… começamos colocando o bichinho no chão… em um lugar desconhecido… nos afastamos um pouco… agachamos e chamamos o pequeno com palmas e falando em um tom de voz suave a alegre… devemos então observar como o filhotinho vem ate nós: se ele vier prontamente… todo empinadinho… pular e até tentar morder a nossa mão… temos um cachorro bastante dominante… se ele vier somente empinadinho e subir diretamente no colo… é um cachorro menos dominante… se vier meio agachado ou encolhido… é mais submisso… se não vier… provavelmente será um cão medroso ou com pouco interesse em seres humanos… dpois levantamos e começamos a andar: o filhotinho dominante… irá nos seguir prontamente… todo empinado e mordendo o nosso calcanhar… se não for tão dominante… só irá seguir-nos com uma bela postura… se for mais submisso andará agachado … se o cachorro não seguir… será um cachorro mais independente… em seguida… pegando o filhotinho com todo cuidado do mundo (lembre-se ele é só um bebê e a última coisa q queremos é q ele fique assustado) colocamos deitado no chão de barriga pra cima… colocamos então nossa mão aberta sobre o peito dele e observamos sua reação: filhotes mais dominantes vão espernear mais… alguns vão até rosnar e tentar morder nossa mão… os muito tímidos… vão ficar imóveis… com o rabinho entre as pernas e ate fazer esforço para evitar olhar nos nossos olhos… um filhotinho intermediário… vai espernear e até ganir um pouco… parar… espernear mais um pouco… e assim ate se acalmar… não se esqueça… é muito importante fazer isso com o máximo de gentileza possível… por último… pegamos o filhotinho com as duas mãos e colocamos seu rosto próximo do nosso e observamos sua atitude: filhotes extremamente dominantes vão rosnar e tentar morder nosso rosto… filhotes independentes… vão tentar ir embora… filhotes muito submissos e tímidos… vão evitar contato com os olhos… filhotes q tentarem lamber nosso nariz… são menos dominantes e q não ficam sentidos com tanta facilidade… bom… dpois de submeter o pobre bichinho a esse batalhão de provas… vamos tentar entender qual filhotinho é melhor pra cada um de nós… uma família com crianças ou pessoas muito tímidas com dificuldade em dar ordens devem procurar evitar filhotes muito dominantes… os filhotes mais dominantes costumam ser também muito inteligentes… mas só escolha uma encrenca dessas se você estiver preparado para um grande desafio por toda vida e se vc for uma pessoa de caráter forte… aqueles cachorrinhos muito tímidos… também merecem donos especiais… muitas vezes eles acabam não sendo boa companhia (ainda mais se vc tiver uma criança em casa) e podem ser muito medrosos… se vc se encantou por um deles… saiba q vai ser necessário muito trabalho e muita dedicação principalmente nos primeiros meses para fazer dele um cachorrinho sociável e menos medroso…!!!

Pedro Lóes :D 

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei

O primeiro dia, o que eu faço? (parte II)

Filhote Canil Shawnodese

Além de proporcionar um local onde o filhote se sinta protegido, a educação quanto ao local das necessidades é outro grande problema enfrentado pelos novos proprietários.

Antes de mais nada, acostume-se com o fato de que o filhote irá fazer cocô e xixi nos locais que você gostaria que ele não fizesse, pois ele está na fase de aprendizado e os erros fazem parte.

O primeiro passo é estabelecer um lugar determinado da casa, de fácil acesso ao filhote e ao mesmo tempo afastado do local de descanso, da água e da ração.

No início, é recomendável forrar o local escolhido com uma área um pouco mais extensa de jornal e ir diminuindo tal extensão assim que o filhote comece a associar o caminho do “banheiro”.

A vigilância do dono na primeira semana de adaptação é fundamental, o qual deverá ficar atento aos sinais do filhote. Nestas horas, caso esteja procurando fazer suas necessidades fora do local determinado, o filhote deve ser colocado no jornal.

Outra dica é utilizar produtos de limpeza que possam eliminar o odor nos locais onde o filhote “errou” a lição do dia, caso contrário ele voltará a utilizar o local nas próximas vezes.

Em virtude desta associação pelo faro, outra dica é deixar no jornal algum vestígio das necessidades, pelo menos até o completo aprendizado do filhote.

Em momento algum a repreensão física deve fazer parte do aprendizado. A simples entonação de voz com um “NÃO!”, será o suficiente para que se possa estabelecer um canal de comunicação.

Tão importante quanto o “NÃO!” é o “SIM!”, ou seja, é importante mostrar ao filhote que ele acertou ao fazer o que você esperava que ele fizesse, então não deixe de festejar com seu filhote a cada saída do “banheiro”.

giba-criadorcolaborador

Gilberto Medeiros

Colaborador do Bullblog e Criador de Bulldogs desde 2003

Canil Reserva do Rei