Tag Archives: bulldogada carioca

13 Coisas que Aprendi sendo Mãe de Bulldog – Por Fernanda Lyra

Escrito por Fernanda Cecília

Chico - Priscila Fantin

Chico – Priscila Fantin

Amo ser mãe do Babaganoush, o melhor filho do mundo! Amo sentir meu amor de mãe crescer, evoluir e se multiplicar. E amo aprender com meu filho… e eu já aprendi muita coisa. Antes de fazer parte da Bulldogada Carioca (grupo de pais e mães de bulldogs) eu achava que várias das manias do Baba eram próprias dele. Contudo, após o convívio com outros buldogues, aprendi que muitas idiossincrasias dele são, na verdade, próprias da raça bulldog inglês. Queria dividir algumas delas com vocês.

  1. Eles praticam “Doga” (Yoga + Dog)

Se você acaba de receber seu filho adotivo na sua casa, se prepare. Já já ele irá praticar “downward facing dog,” estilo buldogue inglês. Patas fronteiras esparramadas no chão e patas traseiras esticadas, derrière nas alturas. Às vezes eles começam a se espreguiçar, com a intenção de deitar no chão e param na metade do processo, fecham os olhinhos e dormem naquela posição mesmo.

Comprovado: cachorros ajudam na paquera!

É mais fácil conseguir ajuda, conversar com outras pessoas e até obter telefone quando estamos acompanhados por um cão, conforme demonstrou um estudo publicado em Dezembro de 2008 na renomada revista científica Anthrozoos.

200618_109765382437155_6992656_n

Para testar a hipótese de que os cães funcionam como facilitadores sociais, foram feitos quatro experimentos, todos eles com e sem cão. No primeiro, um homem pediu dinheiro na rua. No segundo, uma mulher fez a mesma coisa. No terceiro, um homem deixou cair propositadamente moedas no chão para ver se as pessoas o ajudavam a recolhê-las. No quarto, um teste idêntico foi feito por uma mulher. Por último, um homem pediu o telefone de mulheres jovens na rua. Em todos os experimentos, constatou-se que os cães ajudaram as pessoas a atingirem seus objetivos.

Bulldog Club lança calendário 2015.

_DSC0929

O nosso parceiro Bulldog Club selecionou 13 Bulldogs para estampar o calendário 2015, onde a ideia era colocar a foto do cão em seu respectivos mês de aniversário. Foram mais de 120 inscritos, e muitas fotos lindas mas infelizmente o ano só tem 12 meses.

Com o intuito de repassar uma porcentagem das vendas a Ongs de proteção e cuidado animal o calendário foi muito bem visto pelos apaixonados pelo Bulldog Inglês, as Ongs que receberam essa porcentagem foram a Loucos por Bicho e Oba! Organização bem animal, clique e conheça as instituições.

A primeira edição com 200 unidades foi uma febre e por esse motivo a Bulldog Club esta lançando a segunda edição do calendário, serão selecionados mais 13 Bulldogs, se tiver interesse em participar entre em contato aqui mesmo no email bullblog@bullblogingles.com, serão aceitos fotos acima de 1 mega.

A paciência é uma virtude de poucos.

10388630_10203876468610705_8242043485430182397_n

 

Mas não se preocupe, é tudo brincadeira =)

10470892_10203876468250696_3380220669015590334_n

Via – Vatuzy Junior Monteiro

Donos de cães e gatos substituem ração por dieta natural.

Troy & Truff - Proprietário Bruno Marins

Troy & Truff – Proprietário Bruno Marins

As três formas são balanceadas e baseadas em dietas postuladas por médicos-veterinários autores de livros consagrados – as referências estão informadas no material de cada modelo de dieta. Portanto, se você seguir as orientações à risca, nada faltará ao seu peludo. Os requerimentos nutricionais dele serão plenamente atendidos com uma dieta fresca, variada e natural!

Mas diante dessas opções – com ossos, sem ossos, crua, cozida – qual modalidade escolher? Falemos um pouquinho sobre vantagens e desvantagens de cada uma.

Bulloween 2014 – Bulldogada Carioca.

O evento aconteceu no dia 16 de Novembro de 2014 no Clube do Totó – Recreio/RJ, clube criado especialmente para cães, com piscina, instrutores, pranchas de stand-up dogs e muita área verde para eles se divertirem à vontade, poder fazer muitos amigos e trocar experiências sobre seus cães.

Fadinha

Fadinha

Saímos de Curitiba rumo ao Rio de janeiro para prestigiar esse evento, além da diversão, fortalecemos laços de amizade que antes se limitava somente pelo facebook, a receptividade do Carioca é fascinante, faz com que qualquer um se sinta em casa.

Bulldogada Carioca organiza o Bulloween 2014.

14

Mais um evento da Bulldogada Carioca, agora o Bulloween 2014, dia 16/11/2014 – 16h00 a 19h00 no Clube do Totó – Recreio/RJ

Confirme sua presença no evento, clique aqui!   –   Bulldogada Carioca no Facebook.

“Se o seu Bulldog fica muito agitado em lugares cheios e movimentados e/ou apresenta dificuldade respiratória, não leve. Respeite seus limites.”

NOSSO GUERREIRO HÉRCULES

Hércules na Bullnina

Hércules na Bullnina

Era junho de 2013 e, apesar de termos acabado de nos mudar e estarmos mobiliando o novo apartamento, eu e meu marido decidimos que era hora de termos um “filho de 4 patas”. Como eu já tinha tido uma bulldog (na verdade ainda tenho, mas minha mãe seqüestrou! Rs!) e amava profundamente o comportamento da raça, a escolha foi fácil pra mim. Meu marido continuava apaixonado por rottweiler pois, até então era a única raça que ele conhecia de perto, mas com jeitinho convenci ele de termos um bulldog. Como minha Nina (a bull que minha mãe seqüestrou) tinha sido comprada no Mercado Livre há quase 10 anos atrás (e ela continua linda e cheia de vida) resolvi seguir o mesmo caminho, afinal não tinha tido qualquer tipo de problema. Qual não foi minha desagradável surpresa ao perceber que tinha sido vítima de um golpe: paguei R$ 1.200,00 por um filhote que nunca apareceu! Mais do que o dinheiro, meu coração se despedaçou em milhares de pedacinhos. Lembro-me bem de chorar copiosamente nos braços do meu marido. Era um sonho que se desmanchava diante de nossos olhos e nada podíamos fazer. Nem preciso dizer que o “falso criador”desapareceu, né?
Navegando pela internet dias depois, encontrei o telefone da Lucia Vilella que é criadora de bulls aqui no Rio de Janeiro. Entrei em contato com ela na esperança de conseguir nosso filhinho, mas ela não tinha nem previsão de ninhada. Contei com tristeza minha história e foi uma imensa alegria quando ela falou que achava que podia me ajudar. Não me lembro ao certo se foi no mesmo dia, mas ela me ligou e disse mais ou menos assim: “- Elisa, tenho uma amiga chamada Simone que é criadora no Sul e ela tem um filhote de bull que acho que vc vai adorar!”. Entrei em contato com a Simone e ela me mandou uma foto do Hércules: foi amor a primeira vista! Não me interessava nem o pedigree naquele momento: eu simplesmente precisava ter aquela fofura dentro de casa! Diga-se de passagem eu nem entendia muito de pedigree até o Hércules chegar, mas isso é uma ooooutra história. Rs!
A Simone, do Poyol Bulldogs, foi de uma gentileza sem fim! Ao saber da minha história e que eu já tinha gastado mais de R$ 1.000,00 com um filhote que nunca existiu, parcelou o valor para que eu pudesse realizar meu sonho. Ansiosa que sou, enviei os cheques no dia seguinte!
Chegou o dia do Hércules sair do Sul e vir parar no Rio de Janeiro. Eu e meu marido saímos mais cedo de casa, passamos em uma casa de ração e compramos todos os mimos possíveis e imagináveis para nosso pequeno Tony Stark (esse era o nome que tínhamos escolhido, visto que Hércules foi o nome que ele recebeu no nascimento lá no Sul). Fomos para o terminal de cargas do aeroporto pegar nosso “filho de 4 patas”. Nossa! Como as horas passavam devagar! Eu ficava conversando com a Duda Volpatto pelo Facebook na maior ansiedade do universo! Eis que chega uma caixa enooooorme de transporte animal e chamam meu nome! Corri e, ao abrir a portinha, vi um serzinho DORMINDO (isso mesmo! Dormindo! Rs!) no final da caixa! Quase que entrei lá dentro pra tirar ele! Mas quando chegou aos nossos braços, com aquela cara linda e amassada, o ronquinho característico e aquelas patas enooormes, nós não tivemos dúvida: ele iria mesmo continuar se chamando Hércules! Era perfeito!
Hoje ele já está com 1 ano e meio e continua nos surpreendendo todos os dias! É claro que ele “redecorou” nosso apartamento, roeu os pés da nossa mesa de jantar novinha, destruiu alguns jogos de videogame, rasgou o sofá, detonou paredes, estragou tomadas de ventiladores, roncou até quase nos expulsar do quarto e soltou puns de efeito nuclear, mas TUDO valeu a pena! A alegria que nosso Hércules nos dá todos os dias não tem preço. Ver essa cara amassada e bonachona nos enche de felicidade. Mesmo quando arranha nossas pernas com toda a carência característica dos bulldogs, nós não conseguimos mais imaginar nossas vidas sem ele. Tenho certeza que Deus colocou o dedinho Dele na nossa história, mesmo com o susto do golpe no início, pois no final de tudo, não recebemos um cachorro: viramos pais de um anjo!

Beijocas mil!

Elisa Andrade