Problemas na cauda dos bulldogs

    Problemas na cauda dos bulldogs

Foto: Millennium Dog Show

Existem várias conformações para os rabinhos dos bulldogs. Alguns são curtos e não fazem curvas enquanto outros são bastante curvados se insinuando para dentro da região posterior do animal. Dependendo da forma da cauda, pode ser facilitado o desenvolvimento de fungos e bactérias no local. Quando temos um bull com a cauda reta, geralmente as infecções que ocorrem são pequenas, sendo facilmente resolvidas já que se tem acesso ao local e o mesmo não retém umidade com facilidade. Aqueles animais que têm o rabinho em forma de “s” e insinuados para dentro, geralmente são aqueles que apresentam mais problemas no local. Certamente isso não é uma regra, muitos apresentam rabinhos bastante insinuados, sem jamais apresentar nenhum tipo de infecção local.

Na rotina clinica, é comum verificarmos animais com infecções bacterianas com produção de secreção purulenta e mal cheirosa. A parte de dentro da cauda fica constantemente insinuada para dentro, não recebendo oxigênio do ambiente e retendo umidade. Algumas bactérias que são moradoras normais da pele (aquelas que coexistem no corpo sem causar maiores problemas), encontram um local propício para multiplicarem-se. Esse local é escuro, úmido e com substrato para seu desenvolvimento, assim começam este tipo de infecção. Evolui com inchaço do local, dor na região, vermelhidão, muitas vezes febre e também pode gerar inapetência e prostração do animal.

Sempre que for verificado os sintomas citados, indica-se a procura de atendimento veterinário. O veterinário irá avaliar a possibilidade de tratamento clínico, ou seja, se o problema poderá ser resolvido com antibióticos e demais medicações. Muitas vezes se consegue reduzir ou sanar o problema com medicamentos e cuidados locais, no entanto isso varia de acordo com a conformação da cauda e suscetibilidade do animal. Várias vezes verificamos uma reincidência muito grande de infecções na cauda que já foram tratadas, o problema reduz durante o tratamento e depois retorna tudo de novo. Estes casos requerem atenção e avaliação detalhadas, já que pode ser necessária uma cirurgia chamada caudectomia terapêutica. Esta cirurgia consiste na retirada da porção da cauda que está causando dano ao animal, sendo que é uma cirurgia que faz parte de um tratamento e não propriamente estética. Muitas vezes é necessária uma segunda cirurgia se o aspecto estético não for satisfatório aos proprietários. Em geral faz-se apenas um procedimento com bons resultados e após o crescimento dos pêlos da região pouco se nota de diferença.

Também verificamos muitas caudas que se insinuam causando compressão do reto, isso significa que a cauda comprime a porção final do intestino prejudicando a evacuação do animal. Nestes casos, independente da presença ou não de infecção local, é indicado o tratamento cirúrgico para a retirada da cauda e eliminar o risco de lesão ou ruptura do intestino. Estes animais apresentam dificuldade de defecar, ficando longo tempo fazendo força e muitas vezes as fezes têm a forma arredondada (como pequenas bolinhas).

A recuperação do tratamento cirúrgico exige alguns cuidados locais e os pontos são retirados em até duas semanas. O paciente recebe antibióticos, antiinflamatório e analgésico. É comum ocorrer deiscência (queda) de um ou dois pontos durante o processo, mas isso é considerado normal. Após a retirada dos pontos o animal segue sua vida normal com mais qualidade e conforto.

Dra. Viviane Dubal – CRMV/RS 8844

Formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e proprietária da Clinica Veterinária Saúde Animal em Porto Alegre. Contato: vivianesd@bol.com.br

Clube do Buldogue de Cidade do México

No início de junho ocorreu a 78 e 79 mostra da especialidade organizada pelo Clube do Buldogue de Cidade do México (CBCM). Os juizes eram Erika Contreras (Eleco Bulldogs) e Rick Franz (Imperious Bulldogs).

Víctor Hugo Olmedo, do canil OLSAVIA BULLDOGS, nos mandou o link das fotos. Confira:

BISS Maximiliano Bernal

BISS Maximiliano

BOS, WB Afrodita
BOS

WD Molotov Hernandez
WD

Criador Colaborador no Bullblog

Pessoal,giba-criadorcolaborador

Tenho uma super novidade para contar para vocês. A partir deste mês teremos um criador colaborador que escreverá para o Bullblog. O melhor de tudo é que trata-se de uma pessoa experiente e com conhecimento na raça, o que trará novos conteúdos, enriquecendo o nosso blog.

Vocês devem estar curiosos para saber quem é… trata-se do meu querido amigo Gilberto do canil Reserva do Rei.

Então aguardem que vem novidade por aí!!!

Cães disputam competição de surfe nos EUA

No dia 22 de junho esta matéria foi ao ar no G1:
Evento foi disputado em Imperial Beach, na Califórnia.
Foto: Gabriel Bouys/AFP

Cachorro surfa durante competição em Imperial Beach, no estado da Califórnia (EUA). (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

Foto: Gabriel Bouys/AFP

Competição de surfe para cães está na quarta edição. (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

Foto: Gabriel Bouys/AFP

Alguns cães ‘competiram’ em equipe, enquanto outros surfaram sozinhos. (Foto: Gabriel Bouys/AFP)

Fonte: G1

Michael Jackson

mjebull

Até o rei do pop tinha um bull!!!

A querida Vera que me mandou a foto. Adorei!

Emocionante!!!

churchill havaiano
Gostaria de contar a história dos meus bulldogues.
Eu e meu marido nunca tivemos cachorros, e numa viagem à Inglaterra que fizemos vimos na televisão uma propaganda que tinha um bulldogue de desenho animado chamado Churchill, que era demais.
Pois bem, quando voltamos pesquisamos a raça e decidirmos ter o nosso Churchill !
Foi paixão à primeira vista, ele era demais, um gostoso !
Meu filhotão mesmo, cuidamos com todo o amor dele, como um filho que ele era para mim.
Infelizmente no último carnaval ele nos deixou com apenas 1 ano e 8 meses….Teve uma hipetermia malígna e morreu em 2 horas….
Soubemos pela equipe do crematório, que naquele carnaval eles atenderem 5 famílias que perderam seus bulls, tamanho o calor…
Eu achei que fosse morrer junto, sofri demais …..
A casa ficou vazia, horrível, me sentia a pior pessoa do mundo sem o Churchill, não suportava ver as pessoas passeando com seus cães que chorava, andava pela casa procurando coisinhas dele, sentava na caminha e chorava…
Passado um mês, apesar da resistência do meu marido, resolvi ter uma filhota e compramos a Charlotte, que está na foto com a Denise e o Alexandre da Cão Cidadão que já nos ajudavam com o adestramento do Churchil e agora nos ajudam com a Charlotte.FOTO CHARLOTTE
Depois de um mês que a bolinha branca estava em casa, linda, fofa, brincalhona, começamos a ter dificuldades em chamá-la e educá-la.
Chamei o Alexandre – Dr. Pet. que após alguns testes descobriu que a Charlotte é surda de nascença e está nos ajudando à ajudá-la.
Estamos nos comunicando com ela muito bem, com uma caneta de laser e ela está muito feliz !
Acredito que a maior felicidade das nossas vidas e o que mais nos realiza como seres humanos foi ter tido o Churchill e ter a Charlotina, pois com esses bichinhos temos uma relação de amor tão verdadeiro !
Acredito que todos sintam o mesmo pelos seus bulls !
Deixe meu relato, para que cuidem muito bem dos seus bichinhos, que realmente são muito delicados e não suportam calor, pois apesar de todos os cuidados o perdemos, e que, depois do que passamos com o Churchill, a Charlotte veio nos dar mais uma lição de vida e de amor !
Um beijo,
Mariana  de Grandis
PS As fotos deles estão em anexo (o Churchill é o com colar de havaiano)

Bulldogada em Porto Alegre

bulldogada poa 2009

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 236 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: