Tag Archives: bulldog inglês

Principais doenças que acometem a raça.

Boomer – Proprietária Patricia Brito

Boomer – Proprietária Patricia Brito

O Bulldog Inglês é reconhecido como um excelente animal de estimação para uma família por causa de sua tendência a formar laços fortes com as crianças. Ele tende a ser gentil e protetor. A raça requer preparação e disciplina por parte do dono para poder educá-lo e exercícios regulares, pois tende a ganhar peso e ficar obeso. Seu nariz curto o torna propenso ao superaquecimento (heat stroke ou hipertermia) em clima quente, principalmente no verão.

Apesar de gracioso e gentil, pode chegar a pesar mais de 30 kg e, por isso, deve ser avaliada a disponibilidade de espaço e de tempo para atividade física. Ele vive, em média, em torno de 8 a 10 anos.

- Heat Stroke ou Hipertermia: Doença de calor que ocorre quando os animais são expostos a temperaturas ambientais altas ou situações de estresse.

Acne canina.

A acne canina é uma alteração inflamatória que aparece na região do queixo e os lábios dos animais jovens. Em geral surge em cães de pêlo curto e tem correlação com a raça, bulldog inglês, boxer e dog alemão são muito acometidos. Os sinais clínicos mais comuns são lesões com aspecto avermelhado, inflamatórias, podendo gerar dor à palpação e cicatrizes posteriores.
O diagnóstico pode ser realizado pelo exame clínico do paciente e exames complementares, como a coleta de material do local e análise laboratorial.

417431_360195614013865_1286211853_n

Proprietários – Leandro Liane Dornelles

O tratamento varia conforme a gravidade do problema e tempo de aparecimento, alguns pacientes crônicos demandam tratamento diferenciados. Evitar que o bull traumatize o local com a pata quando estiver com coceira ou ao esfregar-se em locais como sofás e tapetes é muito importante. A limpeza do local com produtos específicos e evitar espremer as espinhas também são muito importantes na recuperação do local. Medicações sistêmicas como antibióticos e antiinflamatórios também podem ser necessários, e muitas vezes alguns tratamentos devem ser mantidos por tempo prolongado até a resolução do problema.

vivianeDra. Viviane Dubal – CRMV/RS 8844
Formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e proprietária da Clinica Veterinária Saúde Animal em Porto Alegre.
(51) 30920191 ou (51)98782218

Bulldog e o verão.

verao

E chegou a época de sol e calor! A grande maioria das pessoas adora este período do ano. Mas muitos se descuidam com questões básicas com os cães, que necessitam de atenção especial nesta época do ano.

Hora do passeio

A paciência é uma virtude de poucos.

10388630_10203876468610705_8242043485430182397_n

 

Mas não se preocupe, é tudo brincadeira =)

10470892_10203876468250696_3380220669015590334_n

Via – Vatuzy Junior Monteiro

Donos de cães e gatos substituem ração por dieta natural.

Troy & Truff - Proprietário Bruno Marins

Troy & Truff – Proprietário Bruno Marins

As três formas são balanceadas e baseadas em dietas postuladas por médicos-veterinários autores de livros consagrados – as referências estão informadas no material de cada modelo de dieta. Portanto, se você seguir as orientações à risca, nada faltará ao seu peludo. Os requerimentos nutricionais dele serão plenamente atendidos com uma dieta fresca, variada e natural!

Mas diante dessas opções – com ossos, sem ossos, crua, cozida – qual modalidade escolher? Falemos um pouquinho sobre vantagens e desvantagens de cada uma.

Bulloween 2014 – Bulldogada Carioca.

O evento aconteceu no dia 16 de Novembro de 2014 no Clube do Totó – Recreio/RJ, clube criado especialmente para cães, com piscina, instrutores, pranchas de stand-up dogs e muita área verde para eles se divertirem à vontade, poder fazer muitos amigos e trocar experiências sobre seus cães.

Fadinha

Fadinha

Saímos de Curitiba rumo ao Rio de janeiro para prestigiar esse evento, além da diversão, fortalecemos laços de amizade que antes se limitava somente pelo facebook, a receptividade do Carioca é fascinante, faz com que qualquer um se sinta em casa.

Com a palavra, o criador Francisco ( Canil Frandel ).

Foto - Johnny

Foto – Johnny

1– PORQUE O BULLDOG E COMO TUDO COMEÇOU?
O Bulldog era um sonho de criança, ter essa amada raça muito presente em filmes e desenhos animados. Adquirimos nosso primeiro Bulldog no ano de 2007 afim de iniciar a formação de um plantel, isso tudo com muitas pesquisas sobre a raça e linhas de sangue, visando sempre o aprimoramento e conservação das melhores qualidades. Nossa finalidade sempre foi em criar nossos cães de maneira criteriosa e cuidadosa, dando acima de tudo qualidade de vida, produzindo exemplares dentro do padrão da raça.

2 – QUAL A ROTINA DO CANIL?
Nossa rotina se baseia em uma boa higienização nos canis, áreas comuns,utensílios e nos nossos cães, alimentamos nossos gordos duas vezes por dia e também eles desfrutam de longos períodos de recreação e banhos de sol, pois contamos com um clima serrano e muita área verde.

Amor de Mãe – por Fernanda Lyra

Fernanda Lyra e Baba

Fernanda Lyra e Baba

Gostaria de compartilhar com vocês um texto que li e me identifiquei muito além de ficar emocionada com as belas palavras da Fernanda Lyra.

“A minha vida se transformou com a chegada dele. E não foi um pouco, não. Foi completamente. Não tem um aspecto sequer que tenha permanecido intacto.

Algumas das mudanças são deliciosas. Quando ele tinha apenas alguns meses de vida, eu acordava no meio da noite para verificar se ele estava respirando direitinho. E ficava olhando para ele dormir, hipnotizada com suas dobrinhas fartas de bebê. Quando ele fazia algo novo, meu marido e eu olhávamos um para o outro e preconizávamos aquela coisa boba como se fosse uma grande conquista. Aliás, fazemos isso até hoje.

Alana, bebê de 4 patas.

10653784_591436734311463_2535868494255364465_n

“Sempre amei cachorro, e principalmente os bulldogs, com esse bonachão de ser.

Foi que então no dia 16/10/2014 eu ganhei de presente do meu marido, a Alana uma bulldoginha linda, com 2 meses de vida.
Ela entrou em nossas vidas (Jaqueline e Hugo), pra mudar muitas coisas, mas principalmente para nos trazer alegrias, carinho e muito amor pela minha bebe de 4 patas(como eu falo para meus amigos e familia). Ela é muita ativa, danada, bagunceira, reclamona, rocandora, peidoreira(como meu marido fala), adora morder tudo, adora morder um dedão do pé, adora destruir seu tapete higiênico, briga com sua cama. Adora brincar com uma garrafa pet, que ela adotou como brinquedo.

SAS – Ansiedade de Separação

Britney - Proprietária Adri Kotoman

Britney – Proprietária Adri Kotoman

Vamos falar sobre SAS onde citamos alguns comportamentos apresentados para cães que sofrem com ela, mas podem se manifestar por outros motivos.

Problema comum enfrentado por diversas famílias e seus cães é a Ansiedade de Separação, apresentada quando os cães são deixados sozinhos, oque é um problema grave. Sintomas mais comuns são: destruição por roeduras, latidos excessivos e grande excitação na chegada dos donos.
Móveis
Sobre a destruição dos móveis na ausência dos donos os cães ficam ansiosos e como nós buscam algo para aliviar esta “tensão”, roer é uma opção! Sabemos que é a SAS quando encontramos móveis próximos a porta de saída de casa ou a própria porta roídos e arranhados. Praticar uma boa atividade física antes de os deixarmos a sós e oferecer opções para mantê-los ocupados na nossa ausência (ossos, brinquedos interativos). E ao sairmos de casa não devemos nos despedir, devemos somente sair calmamente sem excita-los.
Roedura
Os cães como nós, roerão por ansiedade, ociosidade e/ou comportamento adquirido (mania). Mastigamos chicletes, palitos e roemos as unhas, com exceção os filhotes que na troca de dentes possuem outras necessidades.
Importante ao sairmos é não excita-los e oferecer opções aos cães para que mantenham os distraídos e envolvidos por mais tempo, a fórmula que usamos é exercer aquela boa caminhada com intensidade adequada e após chegar em casa alimenta-los. Assim provocaremos aquela “preguiça” após refeição que também nos atinge após um belo almoço. Antes de sairmos de casa podemos oferecer um belo osso para ser roído e manter o cão ocupado por mais tempo. Prefiro ossos grandes e pesados como fêmur e canelas bovinas (encontrados em PetShops). Dão trabalho e não quebram, mantendo nossos amigos entretidos e assim evitando roer nossos objetos e móveis.
squezzes

Imagem da Internet

Latidos excessivos
Este problema tem algumas origens como insegurança, ociosidade e comportamento adquirido. A Ansiedade de Separação também pode provocar esta atitude tão incomoda para proprietários e vizinhos.
Neste caso os latidos excessivos manifestados por SAS possuem estímulos na insegurança ou ociosidade, primeiro passo é não incentivarmos os latidos nem recompensar o comportamento, ao deixarmos o cão só não devemos retornar caso o cão ladre ou chore. Devemos aguardar até ele silenciar e assim podemos abrir portas e dar atenção. Praticar atividade física regular e os demais exercícios mencionados nas sextas passadas auxiliaram na solução deste problema.
Pulos
Agora falaremos sobre um comportamento comum e muitas vezes bem incomodo os pulos quando chegamos em casa, assim como nas visitas. Lembrando que ao sair de casa não devemos falar com nossos cães, simplesmente sair. E ao chegar evitar comunicação entre muros e portas, pois isto excita e estimulamos cães a saltarem. Como chegar em casa? No início pode não ser tão fácil mas é possível! Podem acreditar, ao chegar abra a porta e entre direto sem falar, sem tocar nos cães, e só fale com eles quando estiverem calmos.
Foto - Bibbo Camargo

Foto – Bibbo Camargo

Qualquer duvida contem conosco!!!
Prestamos Consultorias, Palestras e Workshops
Nossa FanPage, clique aqui!
Instagram @solucoescaninas
Rafael Rodrigues – soluções em comportamento de cães
Rio de Janeiro -Rj.
Mas atendo em qualquer lugar do Brasil!