Medo de fogos de artifício.

Saiba como evitar estresse dos fogos de artifício para seu pet.

10801845_10202134915772750_8678483083648022589_n

Cães e gatos têm audição sensível e medo pode colocá-los em perigo.
Animais devem ficar soltos para procurar local em que se sintam seguros. O barulho de fogos de artifício e rojões em dias de festas e jogos de futebol, como o da noite desta quarta-feira, pode ser perigoso a cães e gatos, que têm a audição bastante sensível e potencializada em até seis vezes com relação à audição dos humanos. Para evitar transtornos, a melhor opção, segundo veterinários, é prevenir e propiciar um ambiente tranquilo aos pets.

“O cão e o gato, por terem a audição muito sensível, podem colocar-se em situações de perigo pelo susto, pelo medo. Eles não entendem o que está acontecendo. Por isso o ideal é deixá-los mantidos em condições seguras e deixar que eles procurem um local que os faça sentir seguros”, diz ao G1 a veterinária Fernanda Kerr, da ONG Arca Brasil. É importante analisar o local em que o animal irá ficar para que ele não se machuque durante a queima dos fogos.

Cães e gatos devem permanecer em ambientes livres de grades em que possam se ferir e também sem coleiras para evitar que se enforquem. A tendência de animais amedrontados, de acordo com Fernanda, é tentar fugir para um lugar em que se sintam mais protegidos e, se estiverem sozinhos em casa, tendem a sair em busca de seus donos. “O ideal é não deixar o animal de estimação sozinho, principalmente se ele já tiver um histórico de medo. Ninguém melhor do que o dono para saber o que causa conforto e o que causa desconforto ao seu pet”, afirma.

Mesmo em casa, uma recomendação importante é tentar abafar a entrada do som. Colocar cobertores nas janelas e nas portas pode ser uma boa opção. Alguns animais ainda mais frágeis do que cães e gatos, como pássaros e animais silvestres, chegam a morrer em razão dos fogos devido a paradas cardiorrespiratórias. Os pássaros, portanto, devem ficar de preferência em locais onde o som seja abafado e coberto.

Veja dicas para evitar transtornos a pets durante queimas de fogos de artifício
COMPANHIA
Evite deixar seu cão ou gato sozinho. Em casas, eles tendem a fugir para buscar seus donos. Em apartamentos, há o risco de queda da varanda também em tentativas de fuga do animal.
DENTRO DE CASA
Animais que ficam em quintais devem, se possível, ser levados para dentro de casa e mantidos sem correntes ou coleiras. Eles podem se ferir no momento de medo.
LOCAIS FECHADOS
Escolha um cômodo que possa ficar fechado, isolado na casa e com pouca interferência do barulho de ambientes externos. Deixe que o animal procure um local da casa em que se sinta protegido.
ESCONDERIJOS
Para quem tem gatos, uma boa dica é deixar armários com as portas abertas para que eles encontrem espaços tranquilos onde se esconder. Cães também costumam ficam embaixo de camas. Deixe-os escondidos e não tente tirá-los do local escolhido.
PROTETORES AURICULARES
Protetores auriculares de algodão parafinado podem ser boas opções, mas causam desconforto para alguns animais. A melhor opção, portanto, é propiciar um ambiente tranquilo na hora da queima de fogos.
SEM TENSÃO
Evite passar a sua tensão para o animal. Há donos que os colocam no colo e ficam nervosos com a possibilidade do estresse do cão e do gato. Isso só intensifica o medo do animal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: