NOSSO GUERREIRO HÉRCULES

Hércules na Bullnina

Hércules na Bullnina

Era junho de 2013 e, apesar de termos acabado de nos mudar e estarmos mobiliando o novo apartamento, eu e meu marido decidimos que era hora de termos um “filho de 4 patas”. Como eu já tinha tido uma bulldog (na verdade ainda tenho, mas minha mãe seqüestrou! Rs!) e amava profundamente o comportamento da raça, a escolha foi fácil pra mim. Meu marido continuava apaixonado por rottweiler pois, até então era a única raça que ele conhecia de perto, mas com jeitinho convenci ele de termos um bulldog. Como minha Nina (a bull que minha mãe seqüestrou) tinha sido comprada no Mercado Livre há quase 10 anos atrás (e ela continua linda e cheia de vida) resolvi seguir o mesmo caminho, afinal não tinha tido qualquer tipo de problema. Qual não foi minha desagradável surpresa ao perceber que tinha sido vítima de um golpe: paguei R$ 1.200,00 por um filhote que nunca apareceu! Mais do que o dinheiro, meu coração se despedaçou em milhares de pedacinhos. Lembro-me bem de chorar copiosamente nos braços do meu marido. Era um sonho que se desmanchava diante de nossos olhos e nada podíamos fazer. Nem preciso dizer que o “falso criador”desapareceu, né?
Navegando pela internet dias depois, encontrei o telefone da Lucia Vilella que é criadora de bulls aqui no Rio de Janeiro. Entrei em contato com ela na esperança de conseguir nosso filhinho, mas ela não tinha nem previsão de ninhada. Contei com tristeza minha história e foi uma imensa alegria quando ela falou que achava que podia me ajudar. Não me lembro ao certo se foi no mesmo dia, mas ela me ligou e disse mais ou menos assim: “- Elisa, tenho uma amiga chamada Simone que é criadora no Sul e ela tem um filhote de bull que acho que vc vai adorar!”. Entrei em contato com a Simone e ela me mandou uma foto do Hércules: foi amor a primeira vista! Não me interessava nem o pedigree naquele momento: eu simplesmente precisava ter aquela fofura dentro de casa! Diga-se de passagem eu nem entendia muito de pedigree até o Hércules chegar, mas isso é uma ooooutra história. Rs!
A Simone, do Poyol Bulldogs, foi de uma gentileza sem fim! Ao saber da minha história e que eu já tinha gastado mais de R$ 1.000,00 com um filhote que nunca existiu, parcelou o valor para que eu pudesse realizar meu sonho. Ansiosa que sou, enviei os cheques no dia seguinte!
Chegou o dia do Hércules sair do Sul e vir parar no Rio de Janeiro. Eu e meu marido saímos mais cedo de casa, passamos em uma casa de ração e compramos todos os mimos possíveis e imagináveis para nosso pequeno Tony Stark (esse era o nome que tínhamos escolhido, visto que Hércules foi o nome que ele recebeu no nascimento lá no Sul). Fomos para o terminal de cargas do aeroporto pegar nosso “filho de 4 patas”. Nossa! Como as horas passavam devagar! Eu ficava conversando com a Duda Volpatto pelo Facebook na maior ansiedade do universo! Eis que chega uma caixa enooooorme de transporte animal e chamam meu nome! Corri e, ao abrir a portinha, vi um serzinho DORMINDO (isso mesmo! Dormindo! Rs!) no final da caixa! Quase que entrei lá dentro pra tirar ele! Mas quando chegou aos nossos braços, com aquela cara linda e amassada, o ronquinho característico e aquelas patas enooormes, nós não tivemos dúvida: ele iria mesmo continuar se chamando Hércules! Era perfeito!
Hoje ele já está com 1 ano e meio e continua nos surpreendendo todos os dias! É claro que ele “redecorou” nosso apartamento, roeu os pés da nossa mesa de jantar novinha, destruiu alguns jogos de videogame, rasgou o sofá, detonou paredes, estragou tomadas de ventiladores, roncou até quase nos expulsar do quarto e soltou puns de efeito nuclear, mas TUDO valeu a pena! A alegria que nosso Hércules nos dá todos os dias não tem preço. Ver essa cara amassada e bonachona nos enche de felicidade. Mesmo quando arranha nossas pernas com toda a carência característica dos bulldogs, nós não conseguimos mais imaginar nossas vidas sem ele. Tenho certeza que Deus colocou o dedinho Dele na nossa história, mesmo com o susto do golpe no início, pois no final de tudo, não recebemos um cachorro: viramos pais de um anjo!

Beijocas mil!

Elisa Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: