20 Dicas básicas para o futuro proprietário de Bulldog Inglês

Faça parte desta associação!
CBKC FCI CBRB
Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

10 segredos que seu cão nunca contaria.

311789_463969683672020_1687449132_n

Os animais se comunicam de diversas formas, mas nem sempre é o suficiente para entendê-los, não é? Quando se trata de saúde e bem-estar, fica mais ainda complicado reparar quando eles não estão bem. Afinal, eles não falam. Seria fantástico se eles conseguissem nos descrever o que estão sentindo. Mas animais que falam só nos contos de fadas, se falassem, também não diriam. Descubra dez segredos que o seu cachorro não contaria nem em sonhos:

“Estou machucado”

Identificar quando seu animal está sentindo dor pode não ser uma tarefa muito fácil.Os bichos são ótimos atores e escondem quando algo não está bem. Trata-se de algo ancestral e instintivo. Quando está fragilizado, ele fica vulnerável para predadores, que pressentem a fraqueza.

“Estou com coceira”

Em muitas ocasiões, os donos de pets só se dão conta que o animal está sofrendo de algum problema dermatológico, quando feridas e falta de pelos ficam visíveis. Antes de chegar a esse estágio, os cachorros dão sinais que estão com coceiras. Se seu cachorro se morder ou se coçar, preste mais atenção nele. Se passar do limite do bom senso, leve-o ao veterinário.

“Você está colocando mais comida do que preciso”

Cães e gatos sempre vão comer o quanto que você colocar, mesmo que seja a mais do que é necessário. Você, por acaso, consegue imaginar o seu animalzinho recusando comida? Acredite, cães, gatos, cabras e cavalos são capazes de comer até a morte.

“Estou cansado”

Às vezes, os donos acham que o seu bichinho está amuado, com calor e até simplesmente cansado. É preciso tomar cuidado. Cansaço pode esconder doenças sérias e graves, como diabetes, anemia, osteoporose, doença no coração, câncer, entre outras. Se você desconfiar que seu animal está cansado demais, leve-o à uma consulta ao veterinário.

“Você está embaçado”

Será muito difícil conseguir reparar que o seu animal está com problema de visão. Quando acontece uma cegueira súbita, fica mais fácil reparar alguns sinais. Mas quando o pet perde gradativamente a visão, o início, principalmente, é quase imperceptível. O motivo da dificuldade de os donos não repararem que o pet está com dificuldade de enxergar é que eles se adaptam muito bem à nova condição.

“Estou enjoado”

Realmente é muito difícil conseguir descobrir quando o animal está enjoado. Geralmente, os donos só reparam que há alguma coisa estranha quando eles vomitam. Se o seu animal de estimação estiver salivando ou lambendo os lábios constantemente, pode ser que esteja enjoado.

“Estou com calor”

Assim como você nunca ouvirá o seu animal dizer que “você colocou comida demais para ele”, ele também nunca dirá que “está com calor e cansado para brincar ou passear”. Os animais irão aguentar a caminhada ou a brincadeira até chegarem à exaustão. Por isso, quando o animal ficar para trás, seja numa caminhada, corrida ou brincadeira, significa que chegou a hora de parar.

“Minhas patas estão queimando”

Os cães vão andar em calçadas quentes por horas, se precisar, sem reclamar. Mas é preciso tomar cuidado: as almofadinhas das patas queimadas doem demais e demoram para cicatrizar.

1608_503651116370543_370824082_n

“O que você disse?”

Perda de audição é uma das coisas complicadas– talvez a mais difícil – de descobrir. É necessário descobrir sozinho com vários testes, ao menor sinal de desconfiança.

“É a minha barriga ou são as minhas costas?”

Outro problema muito difícil de descobrir. Quando os cachorros têm dores nas costas eles se comportam como estivessem com dor de barriga e vice-versa. Os sintomas de que algo não está bem (ou na barriga, ou nas costas) vão de calafrios e tremores a deixar de pular e correr. No geral,eles não agem normalmente. Outra coisa visível é que um animal com dor na barriga ou nas costas age negativamente se apanhados por baixo.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

btn_donateCC_LG120x53-doar

Entenda o seu cão.

Já pensou se seu cão falasse? Bem, é provável que você sairia correndo se ele de repente começasse a falar tudo o que sente – mas a verdade é que todo mundo que convive com um cachorro tem a mesma vontade: saber o que eles pensam, conhecer o que sentem e descobrir o que eles querem nos dizer.

Embora os animais não falem, eles são capazes de mostrar por meio de sinais corporais o que sentem e o que querem. Por isso, veja algumas dicas publicadas pelo Almanaque Pet, criado pelo Enciclopets que devem facilitar a sua comunicação com o seu ccachorro.

2013-02-09_1534

Latidos
É preciso saber que fêmeas e machos latem de forma diferente. Os latidos variam em volume, tonalidade (grave ou agudo), duração, número de repetições e frequência. Por exemplo, latidos pausados com intervalos longos de aproximadamente 15 segundos podem significar que o cão está pedindo algo: pode ser comida, passeio ou até mesmo para chamar a sua atenção, simplesmente.

Latidos com intervalos de aproximadamente 3 segundos e orelhas para trássignificam que o cão está alerta. Para ele, algo diferente está acontecendo: pode ser um ruído, alguém no portão, um animal se aproximando.

Quando o latido é sequencial, intercalando com rosnado: significa defesa de território e família.

Latido único, curto e agudo: ele está pedindo algo, como brinquedo, comida, abrir a porta. O latido pode se repetir caso o dono não atenda.

Latidos curtos por longos períodos, dando intervalos longos ou médios, pode ser solidão ou sofrimento por estar preso. O cão está pedindo contato e companhia.

Rosnados
Sempre que um cão rosnar, significa que ele está dando uma advertência. Não é, necessariamente, um sinal de agressividade.

Rosnar com os dentes escondidos: O animal está começando a se irritar.

Rosnar mostrando os dentes superiores e intercalando com latidos: Está no limite de tolerância e prestes a atacar.

Rosnada com choro: Ele está extremamente inseguro por temer agressão iminente do dono ou de outro cão.

Mistura de latido com uivo – parece que está resmungando: O animal está se queixando de algo. Pode ser dor, tristeza, preocupação.

Gemido, choro e choramingo: Sempre significa incômodo, sofrimento ou dor. Quanto mais forte, maior sua aflição e dor. Esse sinal vocal pode ser essencial para você descobrir uma doença, por exemplo.

Ganido: Pode ser comparado ao grito humano, diante de um susto ou de uma dor insuportável.

Suspiro: Assim como o ser humano, o cão suspira quando consegue descansar ou consegue algo que desejava.

Gemido trêmulo: Quando o cão sente prazer ao coçar seu ouvido ou as costas, por exemplo.

Uivo: Significa comunicação com cães que possam estar distantes ou quando percebe uma cadela no cio.

Lambidas
Quando um cão lambe o ar, pode significar que ele está com dor em algum lugar que ele não consegue definir. Quando lambe o chão, a cama onde deita ou um tapete, seu cão pode estar com tédio e melancólico. Se lambe a pata sem parar, o animal está estressado e muitas vezes essas lambidas causam ferimentos difíceis de tratar. Esse comportamento também pode indicar alguma doença alérgica de pele. É preciso tomar cuidado.

Mas quando um cão lambe rapidamente o queixo, a boca ou a face de outro cão ou de quem está perto significa apaziguamento e respeito.

Olhar
Quando um cão olha fixamente para outro ou para uma pessoa significa desafio. Portanto, jamais encare nos olhos um cão que você não conhece. Quando um cachorro olha de cantinho de olho, é que ele está desconfiado. Quando ele estiver com um olhar sonolento, é porque ele não está interessado.

Cauda
O abano da cauda nem sempre significa alegria. Por isso, é necessário prestar muita atenção nesse sinal corporal.

Quando a cauda balança junto com todo o traseiro, significa alegria.

Quando o rabo está empinado, é que o cão está atento.

Com a cauda caída balançando lateralmente, o cão está tranquilo e relaxado.

Se o rabo estiver caído pesadamente e parado, o animal pode estar inseguro. A cauda entre as patas mostra muito medo.

922840_483312055071116_1324383285_n

Outros gestos
Pelos arrepiados na cernelha (cangote): O animal está com muito medo.

Dormir de barriga para cima e pernas para o alto: O cachorro se sente em total segurança e confiança no ambiente e com as pessoas que estão ao seu redor.

Deitado com a barriga no chão e as pernas para trás: Provavelmente está com calor.

Afofar o local antes de deitar: Esse é um gesto instintivo dos ancestrais dos cães, quando viviam na natureza. Acredita-se que eles amassavam o capim para evitar fiapos ao deitar, além de verificar a segurança do local.

Rodar em torno de si antes de evacuar: Tem o mesmo significado de amassar o capim antes de deitar. É também um ato instintivo para que nada o incomode.

Cutucar com o focinho: Ele quer sua atenção.

Morder o calcanhar: Cães que fazem isso estão brincando. É uma forma de chamar a atenção. Simplesmente, ele não quer que você saia do ambiente.

Frente abaixada, patas dianteiras para a frente, traseiro levantado e olhando fixamente: Isso é um convite para brincar e correr atrás dele. Infelizmente, por não entenderem esse gesto, muitos donos acabam agredindo o cão.

Cheirar o traseiro de outro cão: Isso é um cumprimento. Mais ou menos, equivalente ao nosso apertar de mãos.

Virar de barriga para cima: Significa submissão. Muitos cães, diante de um iminente ataque do outro cão viram-se imediatamente de barriga pra cima. Diferentemente dos seres humanos, o outro cachorro não se aproveita da submissão. Ele recua.

Montar em um cão do mesmo sexo, em qualquer parte do tronco, ou agarrar-se às pernas das pessoas: Não tem significado sexual. É apenas um ritual de liderança. Quando o cão faz isso, ele quer se impor sobre você, ou seja, ele está dizendo que quem manda ali é ele.

Cheirar o chão: Acredite, mas é apenas o passatempo preferido dos cachorros.

Mordiscar: Simplesmente um gesto de carinho. É como se você pegasse a mão de outra pessoa e ficasse fazendo carinho. Como os cães não têm mão, usam a boca para demonstrar.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

btn_donateCC_LG120x53-doar

Filhotes

Porque queremos secretamente que os cães fiquem filhotes pra sempre.

escape

As pessoas costumam dizer “ah, pena que essa fase filhote passa tão rápido!”. Bom, vamos então analisar porque as pessoas querem que os cães permaneçam filhotes para sempre.
Particularmente, achamos os filhotes fofos, mas a fase adulta é muito melhor. O cachorro está educado, o cachorro sabe o certo e o errado e tem uma ligação muito mais forte com o dono. Quem tem cachorro já adulto sabe: é possível ver se eles estão com fome, com sede, com vontade de fazer xixi, só de olhar pra eles. É uma conexão sem explicação.
Portanto, mesmo que você ame os filhotes, não fique triste, a fase adulta também é MARAVILHOSA! … Leia mais Clique Aqui!

Filhotes: 5 erros de comportamento dos donos.

526474_592453767465668_600710161_n

De acordo com comportamentalistas caninos, 99% dos donos têm problemas com cães em decorrência da falta de regras.
No início, muitas pessoas acham graça ao ver um filhote destruindo o chinelo, rosnando para o dono ou brincando de cabo de guerra. Contudo, segundo especialistas, o comportamento do dono nessa frase é crucial pois 99% dos problemas que estes tem com seus cães decorrem da falta de imposição de regras nos primeiros meses de vida.
Os especialistas explicam que o comportamento do animal se constrói enquanto ele ainda é filhote e que este é o momento ideal para eliminar maus-hábitos e alinhar seu comportamento, já que até os três meses de idade a memória canina é similar a uma folha em branco.

Leia mais Clique Aqui!

 

 

Principais doenças que acometem a raça.

1414

O Bulldog Inglês é reconhecido como um excelente animal de estimação para uma família por causa de sua tendência a formar laços fortes com as crianças. Ele tende a ser gentil e protetor. A raça requer preparação e disciplina por parte do dono para poder educá-lo e exercícios regulares, pois tende a ganhar peso e ficar obeso. Seu nariz curto o torna propenso ao superaquecimento (heat stroke ou hipertermia) em clima quente, principalmente no verão.

Apesar de gracioso e gentil, pode chegar a pesar mais de 30 kg e, por isso, deve ser avaliada a disponibilidade de espaço e de tempo para atividade física. Ele vive, em média, em torno de 8 a 10 anos.

Leia mais Clique Aqui!

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

 

 

 

 

 

 

btn_donateCC_LG

120x53-doar

SAS – Ansiedade de Separação.

Foto Jmarcoz

Foto Jmarcoz

Vamos falar sobre SAS onde citamos alguns comportamentos apresentados para cães que sofrem com ela, mas podem se manifestar por outros motivos.

Problema comum enfrentado por diversas famílias e seus cães é a Ansiedade de Separação, apresentada quando os cães são deixados sozinhos, oque é um problema grave. Sintomas mais comuns são: destruição por roeduras, latidos excessivos e grande excitação na chegada dos donos.

Móveis
Sobre a destruição dos móveis na ausência dos donos os cães ficam ansiosos e como nós buscam algo para aliviar esta “tensão”, roer é uma opção! Sabemos que é a SAS quando encontramos móveis próximos a porta de saída de casa ou a própria porta roídos e arranhados. Praticar uma boa atividade física antes de os deixarmos a sós e oferecer opções para mantê-los ocupados na nossa ausência (ossos, brinquedos interativos). E ao sairmos de casa não devemos nos despedir, devemos somente sair calmamente sem excita-los.

Leia mais Clique Aqui!

 

O ponto de vista do cão…

Os cientistas começam a desvendar um mistério milenar: como os cachorros veem o mundo e por que eles são tão apegados a seus donos. Não há parceria como a do homem com o cão. Ainda assim, em termos de estudos científicos, os ratos recebem maior atenção que o cachorro. Devido a seu uso como cobaia, sabe-se quase tudo sobre o comportamento dos roedores e até já se descobriu como tornar sua existência mais longeva. Por outro lado, o convívio por mais de 14 000 anos permitiu ao homem entender, na prática, bastante bem o comportamento canino. Mas também levou à concepção emotiva de que, de certa forma, o totó tem um lado humano, ainda que insista em fazer xixi no poste. Sobre esse assunto já não se está completamente no escuro. Uma série de estudos recentes lançou luzes sobre, digamos, a vida interior dos cães. Obviamente, o que se está descobrindo nada tem de humano.

Britishpride One And Only – Sam (Prop. Rafael Crispim/Makingdogs)

Britishpride One And Only – Sam (Prop. Rafael Crispim/Makingdogs)

A apreciação científica mais completa sobre a mente canina está no livro Inside of a Dog: What Dogs See, Smell and Know (“Dentro de um cão: o que os cães veem, cheiram e sabem”, em inglês), da americana Alexandra Horowitz. Desde o lançamento, no início de setembro, a obra está na lista das mais vendidas. Psicóloga da Universidade Colúmbia, com especialização em ciência da cognição, Alexandra se propõe a explicar o que significa ser um cachorro. Em outras palavras, como é o mundo do ponto de vista canino. Cinco meses atrás, a Universidade Harvard abriu um laboratório de pesquisas com 1 000 cães, e a Universidade Duke, na Carolina do Norte, vai abrir o seu neste mês. “O número de estudos sobre cães aumenta porque esses animais, antes estigmatizados pela ciência, são tão interessantes para as pesquisas de convívio social quanto os chimpanzés”, diz o biólogo Marc Hauser, chefe do Laboratório de Evolução Cognitiva de Harvard. No início deste ano, ele deixou a pesquisa de primatas para se dedicar aos cães.

Apesar de toda nossa convivência com os cães, talvez seja mais simples entender os chimpanzés, primos na árvore da evolução. Os cães percebem o mundo de um modo tão próprio que só pode ser descrito por analogias. Para poder explicar, a psicóloga Alexandra Horowitz tentou imaginar a vida do ponto de vista de um animal cujo sentido principal é o olfato. Para os cães, o cheiro equivale à visão humana. É o primeiro recurso usado para reconhecer o ambiente ao redor. Quando acordam, esses animais farejam a casa para saber se algo aconteceu enquanto dormiam. Dependendo da raça, um cão pode ter entre 200 milhões e 300 milhões de receptores de olfato nas narinas. O nariz humano só tem 5 milhões. Odores imperceptíveis para nós, como os das moléculas de ácido butírico provenientes das células da epiderme, deixadas por uma presa, compõem para os cães um rastro que pode ser seguido com segurança.

Britishpride One And Only – Sam (Prop. Rafael Crispim/Makingdogs)

Britishpride One And Only – Sam (Prop. Rafael Crispim/Makingdogs)

O cão tem maior interesse pelo que é cheirado do que por aquilo que é visto. Paisagens que deixam as pessoas boquiabertas só se tornam interessantes para um canino se o vento trouxer algum cheiro significativo. Cheirar o sapato de um recém-chegado, para um cão, é uma experiência que rende informações que o homem não tem como obter sozinho. O animal consegue saber por onde a pessoa andou e com que frequência esteve naquele lugar, se teve contato com outros animais, se fez sexo recentemente, se está tomada pelo medo ou pela ansiedade. O tempo como uma cadeia contínua de eventos nada significa para o cão. Tempo também é cheiro. Essa capacidade funciona como um relógio sem ponteiro: o passado, para um cachorro, significa odor enfraquecido; um fato novo tem fragrância forte. Ele realmente é capaz de prever chuva, como se acredita tradicionalmente. Não se trata de clarividência, e sim da transmissão pelo vento do cheiro da tormenta que se aproxima. “Imagine se cada detalhe de nosso mundo visual tivesse um odor correspondente”, escreveu Alexandra Horowitz. “Para um cão, cada pétala de rosa pode ser diferente, pois foi visitada por insetos que deixaram indícios olfativos de sua presença.” O olfato age até mesmo enquanto os cães dormem. O homem, que tem a visão como sentido primordial, sonha com imagens. Provavelmente, o sonho dos cães é repleto de odores. O costume dos donos e veterinários de lavar os cães com xampus cheirosos é terrível para eles. Funciona como se fosse apagada a memória dos episódios das últimas semanas. “A menor fragrância dos produtos de limpeza é quase um insulto olfativo para o cão”, escreve Horowitz.

Com um nariz tão desenvolvido, os cães se valem de olhos e ouvidos como sentidos complementares. A gama de cores que os cães percebem varia entre o azul, o verde e o amarelo, com menos nuances de tons que as captadas pelo olho humano. Com um número menor de fotorreceptores que o olho humano, eles têm dificuldade em ver objetos próximos. Em compensação, a visão periférica pode ser sensacional em certas raças, chegando a 270 graus (a do homem é de apenas 180 graus). A audição canina é mais sensível e tem um espectro muito maior que a humana. Um ambiente silencioso, como um quarto escuro durante a madrugada, é cheio de ruídos para os cães. Eles percebem sons muito baixos, como passos do outro lado da rua ou o movimento dos ratos entre as paredes, e também sons inaudíveis para o homem, como as ondas de alta frequência emitidas por relógios digitais. Da mesma forma, um cão pode localizar a origem de um som mais rápido que um ser humano. Os dezoito ou mais músculos especializados permitem ao cão dobrar, girar, levantar e baixar as orelhas. No homem, apenas seis músculos sustentam as orelhas.

Os cães descendem dos lobos, e a separação se deu há tão pouco tempo que as duas espécies ainda podem cruzar e gerar descendentes. Mas as diferenças já são enormes. O cérebro do animal doméstico é, em média, 20% menor que o de seu ancestral. Talvez para sobreviver entre os homens eles não necessitem da astúcia de um lobo silvestre. De acordo com Alexandra Horowitz, a ideia de que o dono precisa mostrar que é uma espécie de macho alfa não faz sentido. Os cães também não formam matilhas. Não existe entre eles um macho dominante como há entre os lobos. Talvez o cão veja no homem um companheiro, e não necessariamente um chefe. O animal domesticado se tornou especialista nas reações humanas. Ele percebe o sentido pela entonação da voz e é capaz de diferenciar o elogio da reprimenda. Da mesma forma, ele olha para o rosto humano em busca de informações, orientações e segurança. No final, é mesmo o melhor amigo do homem.

Com reportagem de Laura Ming

D. L. Anderson

Via Reserva do Rei Bulldogs

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

btn_donateCC_LG

120x53-doar

 

“Não sou fácil, mas sou irresistível”

“Me chamo Agatha Prado e sou mãe do Chorão.”

01-Quando você se apaixonou pelo Bulldog Inglês?

R: Na primeira vez que o vimos,primeiramente por fotos e no mesmo dia fizemos a visita e assim que aconteceu o amor rs.

02-Quando decidiu que queria ter um, quais foram os métodos de pesquisa sobre a raça e criadores, internet, amigos, etc.

R: Inicialmente pesquisamos qual é o ambiente em que a raça prefere,se é um cão que gosta de ficar dentro de casa,o convívio com outros animais pois já temos um labrador,vimos também quais os cuidados básico como a alimentação,higiene,saúde e temperamento.

03-Sem citar nomes, qual foi o método de escolha na hora de adquirir um filhote, atendimento do criador, padrao da raça, preço, indicaçoes de onde comprar, etc.

 

 

Chorão

Chorão

O flagra

 

Via Thiago Figueiredo Lima

Calos no cotovelo (escaras de decúbito)

Qual a causa dos calos nos cotovelos

A causa mais comum é a formação de calos. Calos ocorrem com frequência em raças de grande porte, e em cães de pele curta que dormem em superfícies duras, como madeira ou concreto. Quando o cachorro se deita, as “pontas” dos ossos entram em contato com o chão e como são regiões com pouco pelo, acabam criando esses calos. É semelhante ao que acontece nos calcanhares de pessoas que andam muito descalça, a pele vai engrossando e protegendo a região.

Como evitar o aparecimento de calos

calos cotovelo cachorro

Para minimiZar o aparecimento de calos, providencie uma superfície macia para o cachorro dormir. Pode ser uma cama acolchoada ou um tapete preenchido com espuma de borracha. Cães de apartamento, que dormem na cama com o dono ou no sofá, dificilmente vão apresentar calos no cotovelo. Cães mais pesados também tendem a ter mais calos pelo excesso de peso sobre os cotovelos. Veja aqui sobre a obesidade em cães.

Tratamento dos calos

Primeiramente, leve seu cão ao veterinário para ter certeza de que são mesmo calos, e não alguma outra doença. Caso seja realmente calo, não há tratamento, apenas providencie um local macio para seu cachorro deitar e não agravar o problema.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

banners_250x250px_PAGSEGUROpng333333

Verduras e legumes proibidos para cães.

Vamos apresentar pra você os vegetais e legumes que seu cachorro não deve comer e os motivos disso. Veja também a lista do que o seu cachorro pode comer.

Cuide bem do seu cachorro, ele merece!

legumes-e-verduras-proibidos-para-cachorros-766x575

1. Folhas e caules de plantas

O caule e as folhas de vegetais e legumes não faz bem para os cães e podem causar danos ao organismo. Sempre que quiser oferecer algum desses vegetais e legumes, retire o caule e as plantas.

2. Pimenta

Além da pimenta arder a boca do cachorro, ela pode causar gastrite. Fuja dela.

3. Tomate verde

Tomates verdes não são um tipo diferente de tomate, são apenas tomates normais que ainda não amadureceram. Os cachorros de sítios e fazendas muitas vezes comem esses tomates devido ao seu fácil acesso. Essa fruta, quando verde, pode causar arritmias cardíacas, dificuldade de respirar, salivação abundante, diarreia e até vômito. Se você mora em um local onde tem pés de tomate, cerque-os para que os cães não tenham acesso.
DSC_0815

4. Brotos da batata

Os brotos da batata afetam o Sistema Nervoso Central do cachorro e pode causar vários problemas gastroentéricos nos cães.

5. Cebola

A cebola contém uma substância chamada dissulfeto de n-propil. Nos cães, ela destrói os glóbulos vermelhos do sangue, causando uma anemia muito forte, sendo necessário às vezes uma transfusão de sangue.

6. Batata crua

As batatas cruas contém solanina, que pode ser tóxica para os cachorros. Se quiser dar batata pro cão, cozinhe bem.

7. Batata verde

Batatas verdes também possuem solanina e não devem ser oferecidas aos cães nem cozidas.

8. Mandioca brava

Existem dois tipos de mandioca: a brava e a mansa. A mandioca brava não deve ser consumida nem mesmo pelos seres humanos. Se um cachorro comer uma mandioca brava, ele pode ter náuseas, problemas gastrointestinais, vômitos, cólicas, diarreias, midríase, cianose, problemas de coração etc. Na maioria das vezes o animal vem à óbito.

9. Alho

Além de não ter um odor nem um gosto agradável pros cães, o alho, assim como a cebola, também contém dissulfeto de n-propil e não deve ser oferecido aos cães de forma alguma.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

banners_250x250px_PAGSEGURO

Quantas vezes por dia você deve dar ração para o seu Bulldog.

DSC_0848

Zeca – Sabrina Matozzo

A maioria dos especialistas recomenda alimentar seu cachorro duas vezes por dia – uma vez pela manhã e uma vez à noite – embora o ideal é que um filhote de 2 meses se alimente 4 vezes por dia, a partir dos 4 meses passa pra 3 vezes por dia e depois dos 8 meses ele pode comer 2 vezes por dia ou de acordo com a recomendação do veterinário. A quantidade diária recomendada depende do porte, da idade e da qualidade da ração. Normalmente uma ração super premium requer menos quantidade do que uma ração normal. Veja sempre a quantidade recomendada na embalagem da ração. A frequência da ração é importante pra evitar a hipoglicemia. Veja aqui sobre hipoglicemia em filhotes e hipoglicemia em adultos.
Enquanto a maioria dos cães já saia cavando no momento em que você colocar a tigela no chão, você pode achar que seu cão é um comedor fresco, pelo menos no começo. Afinal, ele foi colocado em uma nova casa com novas pessoas, e pode estar nervoso demais pra comer. Se esse for o caso, você precisará ensiná-lo a comer dentro de uma programação.

Save

Deixe a tigela no chão por dez minutos depois tire, mesmo que ele não tenha comido. (Se seu cão come devagar, esse período pode ser aumentado para vinte minutos, mas apenas se ele ainda estiver comendo durante esse tempo, e não tenha ido atrás de outra distração.)

No horário da próxima refeição, coloque a tigela no chão, novamente por dez minutos. Em pouco tempo ele vai aprender a comer a refeição oferecida.

 

Horários de alimentação regulares não apenas estabelecem uma rotina, como também permitem que você monitore a saúde do seu cachorro. Se ele comer aos poucos ao longo do dia, você não vai perceber se ele está comendo bem. Mas se normalmente ele come com vontade no momento em que você coloca a tigela no chão, você notará se houver perda de apetite, o que normalmente indica que ele não se sente bem. Se o apetite do seu cão não melhorar em alguns dias, leve ao veterinário. Por isso sempre recomendamos a não deixar a ração disponível.

Outro benefício dessa programação é que um cão com horário para comer também manterá um horário para fazer suas necessidades. Além disso, se você mora em uma área urbana, deixar uma tigela com ração no chão ao longo do dia pode atrair visitantes indesejados, como insetos e ratos. Do ponto de vista psicológico, oferecer a ração apenas na hora certa ajuda o cão a entender que você é o líder, você é o provedor do alimento dele, e isso o ajuda a te respeitar. Manter a regularidade das refeições é uma vantagem para todos.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog