Calos no cotovelo (escaras de decúbito)

Qual a causa dos calos nos cotovelos

A causa mais comum é a formação de calos. Calos ocorrem com frequência em raças de grande porte, e em cães de pele curta que dormem em superfícies duras, como madeira ou concreto. Quando o cachorro se deita, as “pontas” dos ossos entram em contato com o chão e como são regiões com pouco pelo, acabam criando esses calos. É semelhante ao que acontece nos calcanhares de pessoas que andam muito descalça, a pele vai engrossando e protegendo a região.

Como evitar o aparecimento de calos

calos cotovelo cachorro

Para minimiZar o aparecimento de calos, providencie uma superfície macia para o cachorro dormir. Pode ser uma cama acolchoada ou um tapete preenchido com espuma de borracha. Cães de apartamento, que dormem na cama com o dono ou no sofá, dificilmente vão apresentar calos no cotovelo. Cães mais pesados também tendem a ter mais calos pelo excesso de peso sobre os cotovelos. Veja aqui sobre a obesidade em cães.

Tratamento dos calos

Primeiramente, leve seu cão ao veterinário para ter certeza de que são mesmo calos, e não alguma outra doença. Caso seja realmente calo, não há tratamento, apenas providencie um local macio para seu cachorro deitar e não agravar o problema.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

Verduras e legumes proibidos para cães.

Vamos apresentar pra você os vegetais e legumes que seu cachorro não deve comer e os motivos disso. Veja também a lista do que o seu cachorro pode comer.

Cuide bem do seu cachorro, ele merece!

legumes-e-verduras-proibidos-para-cachorros-766x575

1. Folhas e caules de plantas

O caule e as folhas de vegetais e legumes não faz bem para os cães e podem causar danos ao organismo. Sempre que quiser oferecer algum desses vegetais e legumes, retire o caule e as plantas.

2. Pimenta

Além da pimenta arder a boca do cachorro, ela pode causar gastrite. Fuja dela.

3. Tomate verde

Tomates verdes não são um tipo diferente de tomate, são apenas tomates normais que ainda não amadureceram. Os cachorros de sítios e fazendas muitas vezes comem esses tomates devido ao seu fácil acesso. Essa fruta, quando verde, pode causar arritmias cardíacas, dificuldade de respirar, salivação abundante, diarreia e até vômito. Se você mora em um local onde tem pés de tomate, cerque-os para que os cães não tenham acesso.
DSC_0815

4. Brotos da batata

Os brotos da batata afetam o Sistema Nervoso Central do cachorro e pode causar vários problemas gastroentéricos nos cães.

5. Cebola

A cebola contém uma substância chamada dissulfeto de n-propil. Nos cães, ela destrói os glóbulos vermelhos do sangue, causando uma anemia muito forte, sendo necessário às vezes uma transfusão de sangue.

6. Batata crua

As batatas cruas contém solanina, que pode ser tóxica para os cachorros. Se quiser dar batata pro cão, cozinhe bem.

7. Batata verde

Batatas verdes também possuem solanina e não devem ser oferecidas aos cães nem cozidas.

8. Mandioca brava

Existem dois tipos de mandioca: a brava e a mansa. A mandioca brava não deve ser consumida nem mesmo pelos seres humanos. Se um cachorro comer uma mandioca brava, ele pode ter náuseas, problemas gastrointestinais, vômitos, cólicas, diarreias, midríase, cianose, problemas de coração etc. Na maioria das vezes o animal vem à óbito.

9. Alho

Além de não ter um odor nem um gosto agradável pros cães, o alho, assim como a cebola, também contém dissulfeto de n-propil e não deve ser oferecido aos cães de forma alguma.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

Quantas vezes por dia você deve dar ração para o seu Bulldog.

DSC_0848

Zeca – Sabrina Matozzo

A maioria dos especialistas recomenda alimentar seu cachorro duas vezes por dia – uma vez pela manhã e uma vez à noite – embora o ideal é que um filhote de 2 meses se alimente 4 vezes por dia, a partir dos 4 meses passa pra 3 vezes por dia e depois dos 8 meses ele pode comer 2 vezes por dia ou de acordo com a recomendação do veterinário. A quantidade diária recomendada depende do porte, da idade e da qualidade da ração. Normalmente uma ração super premium requer menos quantidade do que uma ração normal. Veja sempre a quantidade recomendada na embalagem da ração. A frequência da ração é importante pra evitar a hipoglicemia. Veja aqui sobre hipoglicemia em filhotes e hipoglicemia em adultos.
Enquanto a maioria dos cães já saia cavando no momento em que você colocar a tigela no chão, você pode achar que seu cão é um comedor fresco, pelo menos no começo. Afinal, ele foi colocado em uma nova casa com novas pessoas, e pode estar nervoso demais pra comer. Se esse for o caso, você precisará ensiná-lo a comer dentro de uma programação.

Save

Deixe a tigela no chão por dez minutos depois tire, mesmo que ele não tenha comido. (Se seu cão come devagar, esse período pode ser aumentado para vinte minutos, mas apenas se ele ainda estiver comendo durante esse tempo, e não tenha ido atrás de outra distração.)

No horário da próxima refeição, coloque a tigela no chão, novamente por dez minutos. Em pouco tempo ele vai aprender a comer a refeição oferecida.

 

Horários de alimentação regulares não apenas estabelecem uma rotina, como também permitem que você monitore a saúde do seu cachorro. Se ele comer aos poucos ao longo do dia, você não vai perceber se ele está comendo bem. Mas se normalmente ele come com vontade no momento em que você coloca a tigela no chão, você notará se houver perda de apetite, o que normalmente indica que ele não se sente bem. Se o apetite do seu cão não melhorar em alguns dias, leve ao veterinário. Por isso sempre recomendamos a não deixar a ração disponível.

Outro benefício dessa programação é que um cão com horário para comer também manterá um horário para fazer suas necessidades. Além disso, se você mora em uma área urbana, deixar uma tigela com ração no chão ao longo do dia pode atrair visitantes indesejados, como insetos e ratos. Do ponto de vista psicológico, oferecer a ração apenas na hora certa ajuda o cão a entender que você é o líder, você é o provedor do alimento dele, e isso o ajuda a te respeitar. Manter a regularidade das refeições é uma vantagem para todos.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

Porque queremos secretamente que os cães fiquem filhotes pra sempre.

As pessoas costumam dizer “ah, pena que essa fase filhote passa tão rápido!”. Bom, vamos então analisar porque as pessoas querem que os cães permaneçam filhotes para sempre.

Particularmente, achamos os filhotes fofos, mas a fase adulta é muito melhor. O cachorro está educado, o cachorro sabe o certo e o errado e tem uma ligação muito mais forte com o dono. Quem tem cachorro já adulto sabe: é possível ver se eles estão com fome, com sede, com vontade de fazer xixi, só de olhar pra eles. É uma conexão sem explicação.

Portanto, mesmo que você ame os filhotes, não fique triste, a fase adulta também é MARAVILHOSA!

Foto Jmarcoz

Foto Jmarcoz

Vamos às razões que levam as pessoas a quererem que os cães fiquem filhotes pra sempre:

1. O fator fofura
2. As orelhas e as patas são enormes
3. E elas são tão peludinhas!
4. Estão sempre animados e felizes
5. E são muito curiosos
6. Essa viradinha de cabeça é demais pros nossos corações
7. Eles não tem vergonha de lutar pelo que é deles e eles fazem isso da forma mais fofa
8. Podemos carregá-los pra qualquer lugar
9. É fofo como eles cabem nos lugares mais inesperados
10. Mas a coisa mais incrível é que os filhotes olham pra você e já te amam muito
11. E como eles são fieis e leais desde o início
12. Os filhotes tem uma felicidade nata que é contagiante

Fonte – http://tudosobrecachorros.com.br/
Foto – Jmarcoz

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

A TROCA DE DENTES EM FILHOTES DE CÃES E GATOS

Por volta do quarto ao sexto mês de idade todo filhote de cão e gato irá realizar a troca dos dentes. Eles irão trocar os dentes decíduos pelos dentes permanentes. Os dentes decíduos são dentes finos e pontiagudos e de aspecto frágil, porém machucam com mais facilidade quando os filhotes mordem nas suas brincadeiras. Os dentes permanentes são dentes maiores e mais brilhantes e serão os dentes definitivos por toda a vida do animal, e por esse motivo requerem cuidados de conservação e manutenção adequados.

Durante essa fase de troca de dentes o animal pode ficar seletivo para os alimentos ou mesmo inapetente pelo desconforto causado pela erupção dos novos dentes. Nessa fase é normal a presença de mau hálito e eventual sangramento gengival, todas alterações sem significado clínico relevante, já que são temporárias.
Normalmente não observamos os dentes trocados porque o animal irá engoli-los durante a mastigação dos alimentos, mas eventualmente poderemos encontrar alguns deles caídos pelo chão da casa.

Foto Jmarcoz

Foto Jmarcoz

QUANDO OS “DENTES DE LEITE” NÃO CAEM, O QUE DEVEMOS FAZER?
Alguns animais não efetuam a troca totalmente, quando então observamos a presença de dentição dupla (foto 1), principalmente nos caninos superiores e inferiores, nos incisivos (mais raramente) ou ambos. Em outros filhotes observamos dentição dupla nos incisivos, conhecidos por Dentes de Tubarão. Essa condição é normalmente observada em animais de pequeno porte principalmente em Malteses, Yorkshires, Poodles, Lhasa Apsos, Pinschers entre outros e pode favorecer o acúmulo de restos alimentares, e conseqüentemente cálculo dentário (tártaro) e mau hálito. A pior conseqüência da dentição dupla é o desvio de mordedura que deverá ser corrigida com a extração dos dentes decíduos o quanto antes para evitar que o desvio se acentue ou perpetue.
É aconselhado mesmo antes da troca dos dentes decíduos, condicionar o seu animal (principalmente os cães) a escovação periódica dos dentes, evitando o acúmulo de cálculo dentário (tártaro), e a perda precoce dos dentes.

Colaboradora Eduarda Volpatto - Bulldog Club e Bullblog

Colaboradora Eduarda Volpatto – Bulldog Club e Bullblog

10 Razões para possuir um Bulldog Inglês

razoes

Esfregar o bumbum no chão – Glândulas anais

Alguns cachorros, em alguma fase da vida, começam a arrastar o bumbum no chão, como se estivesse coçando. Muitas vezes pode ser verme, que provoca coceira na região do ânus. Outro motivo muito comum é que ele pode estar precisando que suas glândulas anais sejam espremidas/esvaziadas. Seu cachorro ainda pode estar com alguma coisa presa no bumbum, algum pedaço de grama, carrapato, fezes ou cabelo. Antes de mais nada, verifique se tem algo que esteja incomodando seu cão.
Esvaziar as glândulas anais é um procedimento simples que você pode fazer em casa. Se seu cão for bravo, recomendamos que coloque uma focinheira nele antes do procedimento.

Atenção:

– Se tiver alguma dúvida ou preocupação em relação a esse procedimento, consulte o veterinário antes de tentar.
– Pegue toalhas de papel suficientes pra poder repetir o processo várias vezes até terminar.
– Os cães em geral ficarão mais elétricos depois que o procedimento for finalizado.
– e o líquido for pastoso ou com sangue, você deve consultar o veterinário pra ver se não há infecção.
– Cachorros menores terão que passar por esse procedimento com mais frequência que cães maiores.
– Aumentar a ingestão de fibras pode ajudar o cão a expelir o conteúdo de suas glândulas anais normalmente, reduzindo a necessidade de passar por esse procedimento.

Cachorros esfregando o bumbum no chão:

Como esvaziar as glândulas anais em casa

1. Pegue 3 ou 4 folhas de papel toalha úmidas
esvaziar_glandula_anal_2

2. Coloque luvas de borracha
esvaziar_glandula_anal_3

3. Aponte a traseira do cachorro para longe de você
esvaziar_glandula_anal_4

4. Levante o rabo do cão para deixar o ânus à mostra
esvaziar_glandula_anal_5

5. Localize as glândulas anais de acordo com a imagem (geralmente numa angulação como se fosse 4 e 8 horas num relógio). Se as glândulas estiverem cheias você deve sentir um pequeno calo ao pressioná-las.
esvaziar_glandula_anal_6

6. Aperte gentilmente enquanto segura uma toalha de papel para absorver o líquido que sairá.
esvaziar_glandula_anal_7

7. Repita o processo até que as glândulas estejam vazias.
esvaziar_glandula_anal_8

8. Quando terminar, lave o traseiro do cachorro para reduzir o odor.
esvaziar_glandula_anal_9

9. Se possível, é aconselhável fazer isso durante o banho dele.
esvaziar_glandula_anal_10

Lembre-se: se você não sentir segurança ou não tiver certeza de que as glândulas anais precisem ser esvaziadas, leve seu cão ao veterinário.

Fonte: Tudo sobre Cachorro

Spike e seu calendário

Gente olhem só que legal, o Spike que foi selecionado para o calendário já recebeu o seu e posou para esta linda foto <3

Para adquirir mande um email para contatobulldogclub@gmail.com ou pelo whatsapp 11 9 6494-5397.

R$25,00 + frete.

WhatsApp Image 2017-02-23 at 10.23.37

Ou compre pelo Mercado livre no link http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-843738079-calendario-de-mesa-bulldog-_JM

3 remédios que você nunca deve dar ao seu cachorro.

A automedicação é algo corriqueiro. Quem nunca tomou um remédio sem consultar um médico que atire a primeira pedra. Ir na farmácia e comprar remédios para inúmeros sintomas faz parte da nossa rotina. Todavia, os cachorros não compartilham da mesma constituição. Do alto da sua prateleira você deve evitar ao máximo dar alguns medicamentos.

É claro que ingerir medicamentos por conta própria para problemas banais como uma dor de cabeça, por exemplo, não chega a ser muito grave. Isso acontece porque nós, apesar de pouca, temos um conhecimento intrínseco sobre qual medicamento tomar para aliviar determinado sintoma. O problema maior acontece quando passamos a achar que o organismo de um cão reage da mesma forma do que o nosso.

Aspirina

Esse medicamento age diretamente nas plaquetas (que ajudam o sangue a coagular). Ou seja, se o seu cachorro tem algum ferimento ou laceração a aspirina tornaria mais difícil de parar o sangramento. Especialmente perigosa se combinada com esteroides e/ou anti-inflamatórios. Os sintomas variam de problemas gastrointestinais, neurológicos, distúrbios hemorrágicos, insuficiência renal e dificuldades respiratórias.

 

Paracetamol

O problema nesse caso é a dosagem. Apesar de ser menos sensível do que os gatos (nunca dê paracetamol ao seu gato) a miligramagem dada aos humanos é o bastante para envenenar o seu cão.

Ibuprofeno

Muito usado para combater inflamações, no mesmo caso do paracetamol, para os cães o Ibuprofeno pode facilmente acender a níveis tóxicos. Apesar de parecer uma “dose segura” essa droga pode naturalmente levar a hemorragias, úlceras de estomago e insuficiência renal. Os sintomas incluem falta de apetite, vômitos, fezes pretas, sangue no vomito, dor abdominal, fraqueza e letargia.

Além desses medicamentos há outros. De qualquer forma, antes de medicar o seu cachorro, consulte sempre um médico veterinário.

Fonte: Tudo Sobre Cachorros

Calendário Bulldog Club saindo do forno!

Olá bulldogueiros!!!

Olha só o que saiu do forno =)
O calendário da Bulldog Club 2017 esta lindo.
 Para adquirir o seu basta enviar um e-mail para contatobulldogclub@gmail.com ou através do WhatsApp 11 9 6494-5397.
WhatsApp Image 2017-02-06 at 18.00.13 WhatsApp Image 2017-02-06 at 18.00.08 WhatsApp Image 2017-02-06 at 18.00.11
Entre para o nosso grupo no Facebook clicando Aqui!
Quem adquirir o calendário tem 5% de desconto na La Pet Cuisine!
PETCUISINE
Bullbeijos